Esse artigo é exclusivo para assinante.
Para acessar, faça login ou adquira já a sua assinatura.

Já sou assinante!

16.5 C
Curitibanos
quarta-feira, 06 de julho de 2022

Turismo

‘O país não pode parar novamente’

por Elton Zuquelo


(Foto: Getty Images)/

Após um período de mais de um ano de recessão no setor de turismo, desde os últimos meses de 2021, os brasileiros estão recuperando o tempo em viagens e passeios turísticos.

É o que se verifica neste Verão no Litoral catarinense, cujas praias estão lotadas, mesmo em meio a uma nova onda da pandemia pelo coronavírus, agora associada a outras patologias respiratórias.

O mesmo acontece em outros pontos turísticos, que passaram a receber um grande número de visitantes. As viagens internacionais igualmente recobraram seu fluxo de pessoas, operando as companhias aéreas no limite de sua capacidade.

Esse movimento é positivo para a economia, por possibilitar a recuperação dos setores de viagens, turismo e entretenimento, que experimentaram sério abalo com a pandemia, o que levou diversos prestadores de serviços, especialmente de agenciamento de viagens, a paralisar as atividades, em razão da retração da atividade.

Por outro lado, causa preocupação o retorno da pandemia, verificando-se um salto no número de infectados em todo o Brasil. Já foi anunciado que o país não pode parar novamente, pena de um colapso na economia, não se sabendo até que ponto essa movimentação intensa de pessoas contribui para a contaminação.

Parece lógico que a aglomeração e os contatos favorecem a disciminação do vírus. Entrementes, não está definida uma medida razoável entre os cuidados necessários e a manutenção da atividade econômica dos diversos setores, cabendo a cada um, em seu livre-arbítrio, adotar uma conduta sensata de evitar a exposição demasiada ao risco.

O que tem demonstrado nesse momento é a eficácia da vacinação, pelo fato de, se não ocorre a imunização completa impedindo o contágio, os efeitos da patologia viral são sobremaneira menores, passando a maioria dos pacientes pela fase da quarentena sem a necessidade de internação hospitalar.

Diversas são as previsões negativas para os próximos meses e anos, todavia, não há que se deixar levar por negativismos, mantendo-se a esperança no crescimento econômico, com a geração de empregos, bem assim melhoras para a saúde e na qualidade de vida em geral.

Também na política há uma expectativa que possa haver certa acomodação de interesses conflitantes e que o governo consiga implementar ao máximo políticas públicas a benefício da população. Em todos os níveis a oposição é salutar, para impedir que as facilidades da unanimidade possam desvirtuar pessoas e políticas, porém, que as oposições sejam conscientes e responsáveis, com vistas ao bem estar das pessoas, deixando de lado as rixas políticas em nome do bem maior ao povo.

Assim, vai avançando a segunda quinzena do primeiro mês do ano de 2022. Que seja um ano produtivo para a economia, conquanto as vicissitudes que possam afetar alguns setores. Na política, que possam os melhores nomes que se disponham a contribuir na vida pública receber o beneplácito dos eleitores nas eleições deste ano

Receba notícias direto no seu celular, através dos nossos grupos. Clique no link para participar:

WhatsApp

Destaques

Últimas notícias