16.5 C
Curitibanos
quarta-feira, 06 de julho de 2022

Santa Cecília comemora 64 anos de emancipação político-administrativa nesta terça-feira (21)

Em entrevista, prefeita Alessandra Garcia destaca desenvolvimento econômico do município

Hoje (21), Santa Cecília comemora 64 anos de emancipação político-administrativa. Para marcar a data, a administração municipal adiantou o feriado para esta segunda-feira (20), quando o comércio e atendimentos públicos da cidade deverão estar fechados. À frente da prefeitura desde janeiro de 2017, a prefeita Alessandra Garcia, reeleita no ano passado, comenta sobre o desenvolvimento da cidade e os projetos, especialmente para a expansão econômica de Santa Cecília.

Jornal A Semana – Quais transformações destaca em Santa Cecília nos últimos anos? Alessandra Garcia – Nossa cidade vive em constante transformação, é um exemplo de desenvolvimento. Desde 2017 mostramos que é possível trabalhar com recursos próprios nas mais diversas áreas, conseguimos quitar todas as dívidas de precatórios herdadas de governos anteriores. Além dos inúmeros investimentos em todas as áreas.

AS – Quais as atuais prioridades da administração municipal?

AG – Seguimos investindo na saúde, educação, infraestrutura, segurança, e emprego, destaco que a habitação terá uma atenção especial, pretendemos construir várias unidades habitacionais. O município viverá um momento muito importante no combate ao déficit habitacional, para a população em situação de vulnerabilidade habitacional, que também movimentará a economia local, principalmente nos setores de mão de obra e matéria-prima.

AS – Quais os principais projetos deste ano para incentivo da economia de Santa Cecília? AG – O desenvolvimento econômico tem que ser pautado na geração de emprego e renda e na atração de tecnologia de qualidade em serviços, e isso está acontecendo. As oportunidades estão aí para mostrar. Me dediquei em procurar um terreno bem localizado para implantar mais uma área industrial, adquirimos uma área de 20 alqueires ao lado da BR-116 que segue em pleno desenvolvimento, é o nosso Condomínio Industrial Dagoberto Liebl, onde várias empresas já estão instaladas. Destacamos uma, em fase de instalação, dos Emirados Árabes, que conheceu o potencial do município e está investindo em Santa Cecília. A ABB Wood Brazil, é uma empresa que vai agregar importantes valores para a cidade, 200 empregos diretos e mais 300 indiretos.

AS – Como imagina Santa Cecília no futuro?

AG – Nossa administração mudou, não só a cara da cidade, mas a moral política, mostrando que, realmente, quando se quer moralizar a política, se faz, principalmente, gestão integrada e projetos especiais, levando em conta o resgate histórico e socioeconômico do município, suas principais demandas e potencialidades, além do envolvimento de todas as secretarias. O plano não se restringe a apontar os caminhos, mas detalha os objetivos e uma série de metas a serem cumpridas, com os respectivos prazos e ações que serão implementadas nos próximos anos.

AS – Qual presente Santa Cecília merece para comemorar este aniversário?

AG – Estamos vivenciando uma cidade diferente do que se vinha tendo até aqui, com finanças equilibradas, investimentos em infraestrutura, mobilidade urbana e avanços nas áreas de saúde e educação. São importantes conquistas para comemorar no aniversário da cidade. São os moradores que estão ganhando os presentes: São obras para melhorias da cidade e um sorriso no rosto de cada morador. Os cecilienses merecem.

Palavra livre.

AG – Tenho consciência da plena mudança e transformação que estamos fazendo e falo no plural porque incluo o povo da cidade. O povo está nos ajudando e virão mais transformações. Se olharmos na história da cidade, no período de cinco anos e meio, a soma do que nós fizemos, na dimensão que nós fizemos para todas as áreas, não vamos encontrar outro período de 20 anos que fosse feito tanto quanto nós fizemos no nosso governo. O nosso maior legado é deixar a cidade estruturada para os próximos 20 anos. A marca da minha administração é, justamente, ser solidária com o sofrimento do outro e agir quando necessário. O importante na administração é você ser humano, se preocupar com as necessidades dos cidadãos, mas também ter pulso forte.

História

Com quase 17 mil habitantes e o ramo madeireiro fortalecendo a economia da cidade, Santa Cecília segue em desenvolvimento com formação de área industrial às margens da BR-116 e crescimento do comércio, mas para chegar até aqui, a história do município começou a ser escrita por índios das tribos Kaigang e Xoclengs, padres Jesuítas, Bandeirantes e Tropeiros Paulistas, ainda no século XVIII.

Os registros históricos contam que as primeiras famílias europeias que fixaram residências nas terras de Santa Cecília, vieram da Alemanha, como Goetten, Arbegaus, Granemann, Gaudencio, Rauen, Hau e Driessen. Inicialmente, a localidade chamava “Corisco”, devido a intensa incidência de raios. Depois que os tropeiros passaram a pousar no local, se criou um pequeno ponto comercial e de serviços e as terras passaram a se chamar o lugar de “Pousinho” e em seguida de “Povinho”.

Com a chegada dos europeus, o povoado passou a ser chamado de “Rio Correntes”, quando foi elevado à categoria de “freguesia”. Em 1981 foi transformado em Distrito da Paz, com denominação de “Santa Cecília do Rio Correntes”, devido à fé dos imigrantes europeus. O Distrito de Santa Cecília do Rio Correntes foi palco da Guerra do Contestado. Em 31 de Março de 1938, a então “freguesia” passou para “Vila”, e recebeu o nome, apenas de “Santa Cecília”. A transformação em município aconteceu em 21 de junho de 1958.

Receba notícias direto no seu celular, através dos nossos grupos. Clique no link para participar:

WhatsApp

Destaques

Últimas notícias