ASemana 36 anos.png
ASemana 36 anos.png
  

Não pense... Você está sendo filmado

10 Novembro 2018 08:35:00


Na última semana, repercutiu na mídia nacional a mensagem de WhatsApp enviada por uma deputada estadual eleita, sugerindo a estudantes que filmassem seus professores em sala de aula, caso algum deles fizesse comentários contra a eleição do novo presidente do país. O objetivo das filmagens seria denunciar uma possível doutrinação política dentro das escolas. 

Como não poderia deixar de ser, houve reação imediata, principalmente, entre órgãos ligados à Educação, questionando a deputada. Além de ser proibido por lei o uso de celulares em sala de aula, a filmagem envolve questões ainda mais complexas, como o próprio papel da escola na atualidade.

Não que caiba ao professor levar seus alunos a esta ou àquela vertente política ou ideológica, mas, há muito tempo, ele deixou de ser um mero repassador de conteúdos curriculares.

"Fazer com que os estudantes pensem e questionem está entre as mais nobres funções das escolas"

Fazer com que os estudantes pensem e questionem está entre as mais nobres funções das escolas. Em um país de analfabetos políticos, onde muitos pais não têm embasamento para discutir o assunto em casa, é na escola que estão sendo formados cidadãos. Quando as informações e opiniões começam a ser difundidas, sem nenhum critério, por correntes de WhatsApp e fake news em redes sociais, onde mais encontrar fontes confiáveis de conhecimento, senão na escola?

Sugerir que alunos usem seus celulares como armas contra seus professores, longe de representar uma solução para posturas inadequadas em sala de aula, reforça uma inversão de valores e papéis que, há muito tempo, vem minando a Educação no Brasil. Esse ato tira do professor o resto de autoridade que, duramente, tenta manter dentro de salas de aulas repletas de crianças e adolescentes cheios de razão e direitos e vazios de respeito e deveres.

Em pleno século 21, a escola não pode apenas despejar na sociedade uma legião de portadores de diplomas. É preciso que saiam por seus portões cidadãos completos, com formação não apenas científica e técnica, mas que saibam pensar por si mesmos, questionar quando necessário e tomar suas próprias decisões com a convicção que só a verdadeira sabedoria pode oferecer. Pensar é o tesouro mais precioso que a Educação pode nos dar.


OculoseCia.gif
ConexaoMaster.gif

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711