Curitibanos,
35anos barrra.png
35anos barrra.png
  

A luta continua, companheiro?

13 Abril 2018 10:13:00

Lula perdeu a luta ao se tornar o que combateu durante tantos anos



O inesperado aconteceu. Quando ninguém mais acreditava na prisão do ex-presidente Lula, o juiz Sérgio Moro pegou a todos de surpresa com um mandado de prisão em toque de caixa. Concedeu, em respeito ao cargo que Lula exerceu, a oportunidade de apresentar-se espontaneamente à Polícia Federal, sem o constrangimento de ser conduzido, como um criminoso comum, ao local onde iria começar a cumprir sua pena. 

Mas não foi isso o que vimos. Durante quase 48 horas, o que os canais de notícia da TV mostraram foi Lula aquartelando-se no Sindicato dos Metalúrgicos, cercado por militantes que mais pareciam cães de guarda raivosos, num desafio declarado à Polícia Federal: "Vocês sabem onde eu estou, então, venham me prender".

Na iminência de ser preso, Lula retornou a seu local de origem, ao sindicato que o lançou na vida pública. Mas quem estava ali não era mais o Lula de então, um ícone da política nacional, um líder disposto a lutar por seus ideais e, independente de ideologias políticas, uma voz que não deixava de ser ouvida. Tinha tudo para ser um vencedor, mas Lula perdeu a luta ao se tornar o que combateu durante tantos anos.

Ao chegar ao poder, descobriu que a banda de Brasília toca movida a propinas, fraudes, conchavos e negociações nem sempre lícitas. Cedeu e entrou na dança. E foi aí que começou sua derrocada.

Perdeu seus ideais, perdeu respeito e, por fim, perdeu a queda de braço que vinha travando com Sério Moro. Agora, enquanto aguarda que seus advogados consigam uma forma de tirá-lo da "República de Curitiba", assistindo a uma derrota atrás da outra no Supremo Tribunal Federal, Lula deve estar estranhando o silêncio que o rodeia. Onde estão os defensores que ameaçavam "pegar em armas" se ele fosse preso? Onde estão aqueles que iriam parar o país se seu líder fosse condenado? O que vimos foi um protesto que beira o patético, com deputados acrescentando "Lula" a seus nomes parlamentares. Nada que possa ser levado a sério foi feito em sua defesa.

Em seu discurso de "despedida", em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos, Lula incitou os militantes a atos - inclusive de vandalismo - para demonstrar seu descontentamento e afirmou que deixou de ser um ser humano para se tornar uma ideia. Mas esqueceu o mais importante: as pessoas mudam de ideia com o tempo.


OculoseCia.gif
ConexaoMaster.gif

JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711