Curitibanos,
35anos barrra.png
35anos barrra.png
  

Saúde convoca população contra a Gripe

12 Junho 2018 09:37:00

Público alvo deve comparecer à sala de vacina para imunização

Franciele Gasparini


CONTRA A GRIPE. Sala de vacina está instalada na antiga Farmácia da Unidade Central de Saúde, na Rua Maximino de Moraes (Foto: Franciele Gasparini)/


A Campanha de Vacinação contra a Gripe foi estendida pelo Ministério da Saúde até a próxima sexta-feira (15) em todo o país. Em Curitibanos e região, onde a meta é imunizar 22.022 pessoas, boa parte da população alvo não está comparecendo ao ponto de vacinação instalado na Unidade Central de Saúde, na Rua Maximino de Moraes.

O alerta principal é para pais de crianças entre 6 meses e 5 anos incompletos e para gestantes, grupos com menor adesão à campanha.

Conforme dados divulgados pelo DataSUS, até a última semana, Curitibanos havia imunizado apenas 66,16% da população alvo, o menor índice na região, sendo que os menores percentuais são de crianças (44,40%) e gestantes (54,25%). O mesmo acontece em Ponte Alta do Norte, onde os índices atingidos até agora são menores que os estimados para a campanha: crianças (45,20%) e gestantes (58%). No total, PAN atingiu 68,19%. Nos demais municípios, os índices gerais da campanha seguem satisfatórios, como em Frei Rogério, onde a meta foi ultrapassada e chegou a 101,91%; São Cristóvão do Sul, com 83,11% da população alvo imunizada; e Santa Cecília, com 82,96%.

Encerrada a prorrogação da campnha, após o dia 18, caso a Secretaria de Saúde de Curitibanos ainda disponha de vacinas, a imunização será liberada para crianças até 9 anos e para a população entre 50 e 60 anos.

PREOCUPANTE

As campanhas de vacinação ganham destaque com o Dia da Imunização, celebrado neste sábado (9). A data reforça a importância de manter as vacinações em dia para erradicação de doenças como varíola e poliomielite, além de evitar mortes, como as ocasionadas pelo vírus da Gripe.

De acordo com a enfermeira da Vigilância Epidemiológica Luely Katto, é importante que a população possa distinguir mitos de verdades em relação ao sistema nacional de vacinação, garantindo que suas famílias estejam protegidas contra doenças, além de colaborar para a saúde coletiva, evitando a disseminação de doenças que só foram erradicadas com a cobertura vacinal.

A enfermeira revelou que alguns movimentos ao redor do mundo buscam um estilo de vida mais natural e recusam a vacinação, mas colocam a si e às suas famílias em risco, ficando vulneráveis a doenças facilmente evitáveis com a vacinação. Luely enfatizou que, assim como há uma forte campanha para vacinação e erradicação de doenças, com a Gripe não é diferente, uma vez que, a ausência das crianças nas filas de imunização contra a Influenza está preocupando as autoridades de Saúde, assim como as gestantes, que costumam ser mais receosas. "A vacina é totalmente segura. Esperamos que, à medida que o frio se intensifique, mais pessoas compareçam e não percam a chance de se imunizar contra um vírus que pode matar", alertou.

Segundo a enfermeira, ao entrarem no organismo, as vacinas, que possuem moléculas mortas ou atenuadas, fazem com o que o sistema imunológico reaja e produza os anticorpos necessários à defesa contra os agentes, o que torna o corpo imune a eles e às doenças que eles causam.

QUEM DEVE SE VACINAR?

Devem se vacinar contra a Gripe, pessoas dos grupos de risco, incluindo crianças de 6 meses a 5 anos incompletos, trabalhadores da Saúde, gestantes, puérperas, indígenas, idosos, pessoas com comorbidades, professores, adolescentes sob medidas socioeducativas, pessoas privadas de liberdade e funcionários do sistema prisional.




OculoseCia.gif
ConexaoMaster.gif

JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711