35anos barrra.png
35anos barrra.png
  

Crianças precisam movimentar-se

17 Julho 2018 08:49:00

Sedentarismo causa contraturas e encurtamento muscular

Franciele Gasparini


SAÚDE INFANTIL. Ortopedista pediátrico reforça importância de incluir atividades físicas na vida das crianças . (FOTO: FRANCIELE GASPARINI)/

As férias estão aí e, para muitos estudantes, é hora de relaxar e aproveitar o tempo livre para a diversão. No entanto, o ortopedista pediátrico Andreas Hornburg alerta que o período que passarão em casa deve ser também um momento para estímulo da prática de atividades físicas, uma vez que é cada vez maior o número de crianças que apresentam contraturas e encurtamentos musculares devido ao sedentarismo.

Conforme o especialista, em função da tecnologia, as crianças estão menos ativas e predispostas a problemas musculoesqueléticos antes percebidos apenas em adultos sedentários. Ele explica que é possível tratar o problema com fisioterapia, mas é imprescindível adotar uma mudança de hábitos.

"Antigamente, as crianças tinham mais elasticidade e alongamento.

É preciso incluir uma rotina mais ativa com atividades físicas regulares,

a fim de evitar complicações", orienta.

Com atendimentos em Curitibanos uma vez por mês, na InterClínicas Curitibanos (ICC), Andreas observa que, entre as queixas frequentes no consultório, está a formação de pés e pernas, logo nos primeiros anos de vida dos bebês, resultando em pé plano ou pernas um pouco arqueadas. O médico explicou que esses problemas são corrigidos ao longo do tempo, regularizando por volta dos 6 anos, mas, em caso de dúvidas, os pais devem procurar um especialista.

As conhecidas dores de crescimento também estão na lista dos principais questionamentos dos pais. Segundo o ortopedista, costumam ocorrer entre os 7 e 8 anos e fazem parte do desenvolvimento natural das crianças, sobretudo as mais agitadas. Surgem, geralmente, em mais de uma articulação e desaparecem em pouco tempo. No entanto, se os pais perceberem que a dor é contínua, sempre no mesmo local e aumenta com o passar do tempo, incapacitando a criança de alguma atividade, é importante procurar uma opinião médica.

Os pais também devem ficar atentos a dores no quadril acompanhadas de febre, pois podem predispor o paciente a artrite séptica (infecção em articulação) ou osteomielite (inflamação de osso causada por infecção), situações consideradas mais graves.

OUTROS CASOS

Consideradas doenças prevalentes, de acordo com o especialista, o pé torto congênito e a luxação de quadril são comumente identificadas logo após o parto. O diagnóstico é feito assim que a criança nasce, ainda no hospital, e então o bebê é encaminhado à ortopedia pediátrica para avaliação e tratamento correto.

Para tratar os casos de pé torto congênito, por exemplo, o ortopedista informou que são feitos gessos seriados, trocas de gessadas e, em alguns casos, pequenos procedimentos cirúrgicos, além de acompanhamento durante o crescimento da criança, a fim de avaliar seu desenvolvimento, qualidade de vida e mobilidade com o passar dos anos.



OculoseCia.gif
ConexaoMaster.gif

JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711