Curitibanos,
35anos barrra.png
35anos barrra.png
  

Campanha contra Sarampo e Poliomielite inicia nesta segunda-feira

06 Agosto 2018 09:04:00

Franciele Gasparini


VACINAÇÃO. Postos de saúde estarão abertos no dia 18 para imunização da população (Foto: Arquivo / A Semana)

Quase duas mil crianças devem participar da Campanha de Vacinação contra o Sarampo e a Poliomielite, que inicia nesta segunda-feira (6) e segue até dia 31. O Dia D está agendado para 18 de agosto e contemplará todas as unidades de Saúde de Curitibanos, das 8 às 17 horas, sem fechar para o almoço.

De acordo com a diretora de Saúde Elisabeth França Dacol, nesta edição da campanha, devem receber doses da vacina contra Polio e Sarampo, 1.832 crianças entre 1 ano e 5 anos incompletos. Outros grupos devem entrar na Campanha contra o Sarampo após o dia 31, mas ainda não há informação oficial sobre a liberação da vacina.

Conforme a diretora, os pais devem levar as carteiras de vacinação e Cartão Nacional do SUS para conferir a situação vacinal das crianças. "Como o Sarampo não está erradicado em países vizinhos e na Europa, por exemplo, e há uma sazonalidade grande dentro do país, além da entrada de imigrantes, como da Venezuela, pode ser que essas doenças voltem a fazer vítimas no Brasil, aumentando a necessidade urgente de imunizar nossa população, para evitar sequelas e até mortes", frisou Elisabeth.

Tendo em vista o grande público que deve se imunizar durante a Campanha, a Secretaria de Saúde de Curitibanos disponibilizará uma equipe de vacinação volante, com três pessoas, que atuará de forma itinerante nas unidades de Saúde do município, com um dia da semana destinado a cada bairro, de segunda a sexta-feira.

Segundo a diretora, com auxílio de um carro de som, divulgação na mídia local e nos bairros, a comunidade será convocada a se vacinar. O objetivo da vacinação itinerante, na semana que antecede o Dia D e na semana subsequente ao dia 18, é evitar tumultos na unidade Central e dos bairros.

ESSENCIAL

A diretora de Saúde enfatizou a importância de as famílias manterem em dia a vacinação das crianças, pois é através dela que está garantida a imunização contra doenças que podem deixar sequelas graves, como a Polio, ou até matar, como Sarampo. "Temos muitos jovens formando famílias que desconhecem essas doenças, justamente pelo intenso trabalho de cobertura vacinal no país durante anos, mas precisam estar atentos e evitar que as doenças retornem. Isso só é possível através da vacinação em dia", completou a diretora.

RISCOS

O Brasil tem 822 casos confirmados de sarampo em 2018 e enfrenta dois surtos da doença, em Roraima e no Amazonas. Segundo o governo federal, eles estão relacionados à importação de casos de outros países, mas seis estados brasileiros já confirmaram casos da doença: Amazonas, Roraima, Rondônia, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul.

Não há novos casos de poliomielite no Brasil, mas casos da doença aumentaram em outros países, de acordo com a Organização Mundial da Saúde. Além disso, o Ministério da Saúde informou que 312 municípios brasileiros estão com baixa cobertura para a vacina contra a poliomelite, pois menos da metade das crianças menores de 1 ano foram imunizadas. A recomendação internacional para o controle da doença é de que pelo menos 95% das crianças sejam vacinadas. Atualmente, a média nacional é de 77%.




OculoseCia.gif
ConexaoMaster.gif

JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711