37 anos.png
37 anos.png
  
banner-ki-sbaor.png
pc.png
DIA DO PROFESSOR

O dom de ensinar que ecoa gerações

Para Lucimara Piola a maior gratificação da profissão é o carinho que recebe dos alunos

Por Renata Westphal


(Foto: Renata Westphal)/

Carregando na genética e no coração a paixão e o dom pelo ensino, trabalhando há 12 anos, a professora de Matemática e Química Lucimara Rodrigues de Souza Piola garante que a maior comemoração desta quinta-feira (15), marcada pelo Dia do Professor, é o carinho que os alunos demonstram durante a trajetória da escola e até durante a vida adulta. 

Para ela, o dia 15 só é importante por causa do dia 12. "Se não fossem as crianças nosso trabalho não faria sentido e nada é mais gratifi cante que o carinho que recebemos deles, de alunos e ex-alunos. Isso me enche de orgulho", destaca a professora, que atualmente divide seu tempo ensinando alunos do Ensino Fundamental e Médio no Núcleo Municipal Teresa Lemos Preto, em Curitibanos, e Escola de Educação Básica Argeu Furtado, em São Cristóvão do Sul. 

Filha e irmã de professora, Lucimara iniciou sua carreira como pedagoga quase aos 30 anos. "Trabalhei durante 10 anos em um supermercado e mais dois em uma agropecuária. E em 2008 a escola do Herdeiros do Contestado, no interior de Curitibanos estava sem professora, fui até a Secretaria de Educação e disse que tinha o Ensino Médio completo e muita boa vontade, foi quando comecei a trabalhar com 15 crianças. Logo iniciei a faculdade de Matemática, em Curitibanos", relembra a professora que ingressou na graduação depois de se tornar mãe de Jenyfer e Emilly. Ela destaca que sempre contou com apoio do marido Pedro Diniz Piola, em sua trajetória profissional. Na época do primeiro emprego como professora Lucimara residia na localidade da Fazenda da Cadeia, 12 quilômetros distante da escola. 

Pouco adepta das redes sociais, experiente na trajetória da lousa de giz e recentemente da digital, a professora garante que o maior desafio deste ano, quando as aulas presencias ficaram suspensas por conta da pandemia do novo coronavírus, foi aprender a utilizar o computador e todas as ferramentas disponíveis aos professores para preparar aulas on-line. Embora o início tenha sido desafiador, após seis meses de muita dedicação, hoje os olhos de Lucimara brilham ao falar das aulas on-line, tanto quanto reluzem ao falar de seus alunos. "O início foi muito angustiante, foram dias difíceis por ficar longe dos alunos, da escola e por ter que aprender a nova forma de ensino. Tive que aprender para ensinar os alunos a utilizarem as ferramentas e hoje posso dizer que gosto das aulas on-line", comenta Lucimara. Para facilitar o ensino dos conteúdos e a cobrança das atividades, a professora utiliza as ferramentas disponibilizadas pela Secretaria de Educação com programas da Microsoft. Para preparação de aulas, 

Lucimara explora o programa Sway e entrega aos alunos, especialmente aos mais novos, conteúdo didático preparado por ela, com ilustrações, animações e agrega com vídeos disponíveis na Internet. "Tivemos que nos readaptar, no município já tínhamos a ferramenta, mas devido ao pouco tempo disponível para aprender durante o período de aulas presenciais, neste ano tivemos que nos desafi ar e nos dedicar para aprender cada ferramenta e conseguir repassar tudo o que sabíamos aos alunos", conta. Com disciplina e organização sempre estampando a rotina da professora, Lucimara mostra com orgulho que, embora tenha se adaptado às aulas digitas, seus cadernos de diários de notas e classes seguem sendo preenchidos a mão. "Eu preencho os documentos on-line, faço as tabelas que trabalhamos no Excel, mas ainda uso meus cadernos para anotar as participações e entregas, assim me sinto mais segura e acho mais prático para checar", conta. 

Apaixonada pela área de exatas, a professora cursou sua  especialização em Química a distância e acredita que a experiência também foi fundamental para que enfrentasse o período de adaptação das aulas em meio pandemia. Entre os principais ensinamentos, a pedagoga indica a disciplina e rotina tanto para professores quanto aos alunos para conseguirem seguir seus planos de ensino. "Não estamos focados para trabalhar conteúdo e sim competências. Estamos cientes que os alunos terminarão o ano conhecendo todos os conteúdos que precisam. Com o passar do tempo, a angústia dos primeiros dias foi passando, pois fui percebendo que mesmo on-line eu consigo ter contato com todos os alunos", comenta Lucimara, que além da aproximação virtual com os alunos, avalia o tempo de pandemia como uma oportunidade de ficar mais próxima da família. 

Trabalhando encantada pela profissão que transforma a vida dos alunos e com muita bagagem para comemorar o Dia do Professor, entre as mudanças que Lucimara gostaria de propor à classe é que todos os pedagogos trabalhassem com ainda mais união, para cada vez mais melhorar a educação repassada aos alunos. 


OculoseCia.gif
Conexão master site.png

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711