38 anos.png
38 anos.png
  
VARIEDADES

Fé que ultrapassa fronteiras

Frei conta sobre experiências vividas durante os mais de 50 anos de trajetória na igreja

Por William Dias


(Foto: William Dias) /

Há 78 anos, nascia em Água Doce, município localizado no Meio-Oeste catarinense, Pedro Caron, que desde criança, viu sua vida ser modificada através da fé. Com mais de 50 anos de caminhada dentro da Igreja Católica, desde 2016 o frei atua em Curitibanos, na Paróquia Imaculada Conceição, local que o acolheu como filho e onde ele diz se sentir feliz.

Frei Pedro conta que sua vida religiosa iniciou ainda muito cedo. Filho de Eugenie Zambotto Caron e Natale Caron, ele foi incentivado pelos pais a estudar em seminário, da mesma forma que seus três irmãos Luiz, Augusto e Ângelo. Desde o início de sua vida, o convívio familiar era aliado ao trabalho na roça, que só foi modificado quando ele tinha 11 anos e decidiu acatar os conselhos dopai e seguir para o seminário, em Luzerna.

Do início dos estudos, ele destaca a dificuldade enfrentada devido a saudade que sentia de sua família e do local onde morava. "Vivi momentos difíceis durante o seminário, a saudade da família era muito grande e tive muita vontade de desistir", conta o frei. Encarando de frente o desafio, ele deu continuidade aos estudos e foi o único dos irmãos, que seguiu com a vida religiosa. 

A saudade neste período só era sanada nas semanas de férias dos estudos, quando retornava para casa e para o convívio familiar. "Chegar em casa era libertador, mas quando precisava voltar para os estudos, era muito difícil. Muitas vezes quis ficar em casa, mas persistia e voltava para o seminário", recorda. Depois de finalizar a primeira fase do seminário que durou cerca de dois anos, frei Pedro seguiu os passos determinados pela igreja e continuou a missão em outras cidades como Rio Negro, no Paraná, e Agudos, em São Paulo.

Foi apenas oito anos após iniciar a vida sacerdotal que Pedro aceitou que sua missão era dentro da igreja, "Foi em Agudos que decidi que queria isso para minha vida, quis muito desistir devido a saudade de casa, mas o chamado da igreja falou mais alto", relata. 

Trajetória 

Ao longo desses 67 anos de trabalho, frei Pedro passou por diversas cidades, entre elas Canoinhas, Herval d'Oeste, Porto União, Irineópolis, Piraí do Sul e Agudos. Além disso, teve experiências internacionais,  em 1990 foi para a cidade de Luanda, na Angola, onde serviu a igreja por 12 anos, em três períodos diferentes. "Chegamos em Luanda em setembro da década de 1990, eram tempos de guerra no país. No mesmo dia partimos para Malange, nosso destino missionário, mais ou menos 400 quilômetros da capital Luanda. Ao chegar lá, algumas senhoras nos acolheram. Fomos bem recebidos e aos poucos ia surgindo cada vez mais pessoas para ouvir a palavra do Senhor", conta. 

Viver em um local de guerra foi outro dos grandes desafios da trajetória de frei Pedro. Ele conta que sempre rezou muito pela união e paz entre os povos. "Na Angola, além da fome, pobreza, as estradas eram precárias e minadas, tínhamos que caminhar com cuidado, pois poderia surgir uma mina em qualquer passo em falso", relembra.

Em 1999, ao retornar de Angola, o frei tocava pela primeira vez as terras curitibanenses.  "Gosto muito de trabalhar aqui, admiro muito a simplicidade do povo", ressalta. Há seis anos em Curitibanos, frei Pedro destaca ser importante acreditar na verdade do evangelho, saber acolher as pessoas, ter simplicidade e vivera espiritualidade de São Francisco.


OculoseCia.gif
Conexão master site.png

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711