37 anos.png
37 anos.png
  
banner-ki-sbaor.png
VARIEDADES

Especialista na arte de atender

Bancário recomenda a profissão para todos que têm facilidade de comunicação

Por Rubiane Lima


José destaca o atendimento ao cliente como um dos motivos de sua evolução profissional (Foto: Rubiane Lima)/

Atender bem o cliente, tirar dúvidas e auxiliar na resolução de problemas, está entre os focos principais da profissão de bancário, que tem seu dia de homenagem nesta sexta-feira (28), com o Dia do Bancário. Em Curitibanos, a data será comemorada por José Correa Fernandes, 54 anos, que há 34 anos se dedica a profissão.

Natural de Lages, mas morador de Curitibanos desde os 2 anos, José é casado com Denilce Maria Longhi Fernandes e pai de Guilherme e Camila Longhi Fernandes. Com orgulho da profissão que escolheu, ele conta que iniciou sua vida profissional trabalhando no antigo Mercado Centauro, onde atuou por cinco anos, até que conseguiu uma oportunidade no Bradesco, onde permanece trabalhando até hoje. "Entrei quando estava começando a tecnologia nos bancos. Comecei na época das compensações, tinha setor de processamento em Curitibanos e trabalhei por 11 anos no turno da noite, às vezes avançava as horas quando o fluxo de trabalho era maior. Depois trabalhei cinco anos em trabalho para empresas e há 19 anos estou na agência, com atendimento direto com o cliente", informa.

Sobre seu relacionamento com as pessoas, ele destaca que desde que entrou na instituição bancária, aprendeu que o foco principal é atender bem o cliente, saber conversar e ajudar as pessoas as resolver suas pendências e sonhos financeiros. "Nunca me arrependi de ter escolhido essa profissão e agradeço pelas pessoas que trabalhei e amizades que fiz. São 34 anos de profissão e uma vida dedicada a isso, que só tenho a agradecer", ressaltando ainda, que enquanto puder, vai continuar trabalhando.

José reforça que ser bancário é algo de muita responsabilidade, mas que mesmo diante de dificuldades, recomenda a profissão a todos que têm facilidade com vendas e relacionamento com pessoas. "Já passei por diversas equipes e dificuldades, quando se mas se forma uma equipe que funciona, tudo dá certo e dá felicidade para ir trabalhar, pois uma boa equipe é bom em qualquer profissão", conta. Além de bancário, ele é integrante do Sindicato dos Bancários, outra experiência que destaca como positiva pela luta por direitos e o contato entre as pessoas.

Indicando a tecnologia como modificadora de atendimento, José destaca a facilidade proporcionada pelos aparelhos celulares para ações como pagamento de contas, transferências ou empréstimos. Mesmo assim, acredita que a profissão não terá fim, pela necessidade do contato entre as pessoas. "Os bancos oferecem tecnologia para otimizar o tempo de seus clientes e proporcionar facilidade de atendimento. Mesmo assim, acredito que sempre haverá o contato com o gerente e atendente", diz, ainda, que foi através da convivência direta com o cliente que viu sua vida se transformar. "Quando passei para o atendimento na agência, minha primeira dificuldade foi para conversar com os clientes. Era muito tímido, foi difícil, mas agradeço sempre por ter aprendido e evoluído tanto, pois antes eu realmente não conseguia falar e esse contato com o cliente me fez evoluir muito", conclui o bancário, recomendando a profissão.


Sobre a data

No dia 28 de agosto de 1951, o Sindicato de Bancários de São Paulo entrou em greve após receber proposta de reajuste salarial insignificante do governo. Os profissionais pediam, na época, 40% de melhoria salarial e melhores condições de trabalho. Vários outros sindicatos por todo o território nacional aderiram à greve, no entanto, não aguentaram a pressão e acabaram por aceitar as propostas do governo, que estavam bem abaixo da média solicitada pela classe.

Apenas em São Paulo os trabalhadores continuavam resistindo às pressões. Em 5 de novembro, após 69 dias em greve, os trabalhadores conseguiram um reajuste de 31% no salário. A insistência e força dos profissionais daquela época se tornou um exemplo para toda a classe. Por isso, o dia 28 de agosto é lembrado como o Dia dos Bancários em todo o Brasil, conforme foi instituído pela Lei nº 4.368, de 23 de julho de 1964.

(Foto: Divulgação) /





OculoseCia.gif
Conexão master site.png

Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711