ASemana 36 anos.png
ASemana 36 anos.png
  
VARIEDADES

Vida nova através do esporte

Aos 33 anos Rodrigo descobriu um mundo novo proporcionado pelo universo da luta

Rubiane Lima


Depois dos primeiros meses de treino já percebeu resultado e vê nos tatames sua grande motivação (Foto: Rubiane Lima) /

Chegar aos 30 anos é um dos grandes marcos da vida de uma pessoa, quando os objetivos se modificam e o foco passa a ser outro. É momento de repensar atitudes e a preocupação com o futuro passa a ser uma constante batendo à porta. Com Rodrigo Godoi de Oliveira não foi diferente, que aos 33 anos e pesando 102 quilos, decidiu que era hora de pensar no seu futuro, vendo no universo da luta, nova fase para sua vida.

Nascido em Curitibanos, Rodrigo conta que já atuou em diversas áreas profissionais, mas há cinco anos, trabalha como açougueiro no Supermercado Queluz. Em nenhum momento de sua vida, se imaginou fazendo parte de alguma equipe de luta, mas foi através dela, que redescobriu a vida e, hoje, garante ser uma pessoa mais completa e feliz. "O esporte muda a vida de quem pratica. Sempre tive ideia errada sobre a luta, mas depois de conhecer, recomendo a todos e já sei que não vou mais largar", adianta.

Decidido a emagrecer, Rodrigo entrou para academia de musculação, onde ficou por quatro meses, mas ao contrário do esperado, não estava conseguindo diminuir seu peso, nem gostar da atividade. Antes de iniciar no kickboxing, foi convidado por um amigo e passou um mês dentro da academia somente conhecendo a luta, sem praticar. "Foi um mês observando e vendo se eu conseguiria me encaixar, mas desde o momento que subi pela primeira vez no tatame, já me apaixonei e vi que é isso que eu quero para minha vida", garante.

Desmistificando a ideia de que depois dos 30 não é possível se dedicar a um esporte, Rodrigo começou aos 33 anos a lutar e, segundo seu professor Rafael Cunha, já mostrou potencial, se preparando para seguir em competições. Rodrigo acredita que ainda existam ideias erradas sobre a prática da luta, precisando que mais pessoas conheçam o meio e vejam o quanto estão erradas. "Na luta aprendi valores de modificação de vida, como respeito, foco, dedicação. Foi no tatame que aprendi o quanto é importante não desistir dos nossos sonhos e correr atrás do que realmente nos faz feliz", declara.

Rodrigo se dedica ao esporte com treinos de até quatro horas todos os dias (Foto: Rubiane Lima) /

O atleta treina de três a quatro horas, de segunda a sábado, e mesmo diante de problemas do cotidiano, não deixa de treinar. "Depois que iniciei nessa atividade me sinto completo e os outros problemas já não me afetam da mesma maneira. Hoje, tenho mais energia e já perdi mais de 20 quilos, só o que me faltava era sair da zona de conforto e encarar de frente essa mudança de vida que eu estava precisando", conclui dizendo que a idade nunca deve ser limitador para nada, vendo nela, impulso para seguir com a realização de seus sonhos.


Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711