Curitibanos,
35anos barrra.png
35anos barrra.png
  

Profissão: salvar vidas

26 Maio 2018 00:05:00

Mesmo com os riscos, capitão Willian Leal Nunes diz não trocar a profissão por nenhuma outra

Rubiane Lima


Mesmo diante de dificuldades, Leal garante ser uma grande recompensa poder salvar vidas . (FOTO: RUBIANE LIMA)

Viver atento às sirenes de aviso e ter a oportunidade de salvar vidas e patrimônios fazem parte da rotina de quem trabalha no Corpo de Bombeiros. Para homenagear esses profissionais, neste sábado (26), é celebrado o Dia Internacional dos Bombeiros, destacando a nobre função exercida na sociedade. Em Curitibanos, quem comemora é o comandante da 1ª Companhia de Bombeiros, sub-comandante do quartel, corregedor setorial e perito de incêndio Willian Leal Nunes, que, além disso, ainda dá aulas e atende a ocorrências. 

Natural de Catanduvas, desde criança ele esteve envolvido com o mundo militar, já que seu pai é policial militar. Capitão Leal conta que sempre teve o desejo de seguir a mesma carreira. Quando completou 17 anos, na época, já poderia prestar concurso, mas não teve prova para PM naquele ano. Em 2004, já com 18 anos, passou para o concurso de soldado bombeiro, pensando em, posteriormente, optar pela carreira de PM, mas viu sua história mudar de rumo ao se apaixonar pela profissão.


Desde criança, comandante convive com os ensinamentos militares e sempre quis seguir nesta direção . (FOTO: RUBIANE LIMA)

Capitão Leal fez o curso de soldado em Curitibanos e, após estar formado, ficou por um ano e meio em Catanduvas; depois disso, fez curso para oficial, pelo período de três anos, em Florianópolis, onde se formou em 2 de julho, data celebrada como Dia Nacional do Bombeiro. Em 2009, ele mudou-se para Chapecó, onde ficou por mais um ano e meio; depois, passou por período curto em Xanxerê e, antes de chegar a Curitibanos, ficou por cinco anos em Fraiburgo, onde teve mais tempo para por em prática alguns de seus projetos, como a construção e inauguração do quartel do município.

Sempre contando com apoio irrestrito de sua família, o comandante revela que, durante o trabalho, descobriu sua verdadeira vocação. Segundo capitão Leal, um dos principais ensinamentos para sua profissão é manter a calma diante de situação crítica, lição que ele aprendeu em uma das primeiras ocorrências da qual participou. "Fomos atender a um acidente de moto e, ao chegar ao local, a perna da vítima estava claramente quebrada em dois lugares. Foi uma imagem de grande impacto para mim, com a vítima acordada e temendo por sua perna, mas quem estava comigo manteve a calma a todo o momento e transpareceu isso para a vítima", lembra.

Entre os momentos mais impactantes de sua carreira, o comandante destaca alguns atendimentos, como uma criança que teve os dedos decepados em uma máquina de moer carne e qualquer acidente em que há vítimas presas a ferragens. "Não são imagens boas de ver, mas vamos aprendendo a contornar e não internalizar as situações, pois não podemos agir com nosso emocional, mas sim, com o lado profissional para atender corretamente às vítimas", explica, dizendo ainda, que os atendimentos com pessoas são o que compensam todos os problemas enfrentados no dia a dia da profissão. "Aprendemos a conviver com o que é ruim e é muito gratificante ver que conseguimos salvar a vida de uma pessoa", declara.

Casado e pai de dois filhos, capitão Leal afirma ser muito gratificante ouvir de crianças o desejo de entrar para o Corpo de Bombeiros. "Meus filhos convivem com a rotina de um pai bombeiro e vou incentivá-los, mas o que importa é você seguir sua vocação e ser feliz com a escolha profissional que fizer e é isso que passo para eles", conclui.


(FOTO: RUBIANE LIMA)

JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711