35anos barrra.png
35anos barrra.png
  

Menino de 13 anos encontra tesouro de mil anos enterrado na Alemanha

21 Abril 2018 07:00:00

BBC


Rei Haroldo 1º pode ter enterrado o tesouro quando fugia de seus inimigos após perder batalha para o próprio filho (Foto: AFP)

Segundo os historiadores, seu reinado gerou o legado uma Dinamarca unificada e convertida ao Cristianismo. Mas Haroldo 1º, também conhecido como "Dente Azul", deixou outra herança: um tesouro enterrado na ilha Rügen, na Alemanha.

Os pertences foram descobertos em janeiro por René Schön, um arqueólogo amador, e por seu aluno Luca Malaschnitschenko, de 13 anos, quando os dois buscavam tesouros na ilha com a ajuda de um detector de metais.

Eles encontraram anéis, broches, pérolas, colares trançados, um martelo e várias moedas que correspondem ao período em que Haroldo governou o que hoje em dia é a Dinamarca, o norte da Alemanha, o sul da Suécia e partes da Noruega, compreendido entre os anos 958 e 986, aproximadamente. Há também peças mais antigas, datadas de 714.

As marcas ocultas da guerra deixadas por um navio nazista em árvores da Noruega

A agonia de ficar dois dias preso em uma caverna submarina - sem oxigênio suficiente

As peças mais recentes datam da década de 980, indicando que esse tesouro poderia ter sido escondido por pessoas próximas a Haroldo 1º, já que, em 986, após perder uma batalha contra o próprio filho, ele precisou fugir para a Pomerânia. Lá, morreria um ano mais tarde.

Haroldo 1º ficou conhecido, entre outras coisas, por rejeitar as crenças vikings e unificar a Dinamarca. Em 950, ele se converteu ao Cristianismo e estabeleceu várias dioceses na Dinamarca.

Foi em homenagem a ele que algumas empresas escandinavas de tecnologia batizaram a tecnologia de conexão sem fio de dispositivos digitais de "bluetooth" ("dente azul").


O arqueólogo amador René Schön e seu aluno Luca Malaschnichenko, de 13 anos, foram os primeiros a descobrir os pertences do rei Haroldo 1º (Foto: AFP)

Descoberta

René Schön e Luca Malaschnitschenko contam que, ao fazer as buscas pela ilha, se depararam com o que pensavam ser um pedaço de alumínio sem valor. Depois, perceberam que era uma moeda de prata.

A descoberta deles foi mantida em sigilo até que uma equipe de arqueólogos realizasse escavações em uma área de 400 m² no local.

De onde vem o mito de que a Índia é um país vegetariano

"Esse tesouro é o maior achado de moedas do Dente Azul na região sul do Mar Báltico e, portanto, é de grande importância", disse Michael Schirren, arqueólogo responsável pelas escavações.


Entre os objetos encontrados estão diversas moedas de prata, muitas já com o símbolo da cruz (Foto: AFP)

O local de descoberta, Schaprode, está localizado a poucos quilômetros de Hiddensee, onde no século 19 foi encontrado um conjunto de 16 peças de ouro da época do rei.

Especialistas acreditam que o tesouro foi enterrado enquanto Haroldo 1º fugia para a Pomerânia.

"Este é um caso incomum de uma descoberta que parece corroborar com o que as fontes históricas dizem", disse o arqueólogo Detlef Jantzen.


Os arqueólogos fizeram escavações em uma área de 400 m² na ilha Rügen, na Alemanha (Foto: AFP)

JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711