Curitibanos,
35anos barrra.png
35anos barrra.png
  

A voz da empresa

29 Junho 2018 09:31:00

Telefonista é responsável por encaminhar todas as ligações do Hospital Hélio Anjos Ortiz

Rubiane Lima


Marlene atua na profissão desde 1990 e destaca a importância da telefonista para o dia a dia das atividades do hospital (Foto: Rubiane Lima)/


Sem perder o foco e concentração, características básicas de sua função, a telefonista Marlene Moraes dos Santos completa, este ano, 28 anos de atuação na profissão exercida no Hospital Hélio Anjos Ortiz, e nesta sexta-feira (29), celebra o Dia do Telefonista, data criada para destacar a importância deste profissional, que é a porta de entrada de comunicação e a primeira impressão transmitida por uma empresa.

Marlene conta que iniciou sua carreira no hospital em 1982, quando entrou no cargo de serviços gerais. "Sempre gostei do meu trabalho, acredito que para você se dar bem com uma profissão, tem que acima de tudo, gostar do que está fazendo", afirma.

Ela recorda que desempenhava sua função na recepção, e algumas vezes auxiliava a telefonista, e assim, foi aprendendo como funcionava a atividade. "Somos uma equipe muito unida no hospital e estamos sempre nos auxiliando na hora do trabalho", destaca.

Quando chegou a aposentadoria de sua colega telefonista, em 1990, surgiu a oportunidade de ocupar a vaga e a vida de Marlene começou a tomar outro rumo.


Ela explica que ao iniciar na atividade de telefonista, não existiam computadores e a facilidade tecnológica que existe hoje. "Era um aparelho enorme onde passávamos e fazíamos as ligações, hoje nem temos mais o equipamento. No começo foi um pouco difícil, mas como eu estava sempre por perto, já sabia alguma coisa sobre a função", ressalta.

Foi através de sua força de vontade que Marcele conseguiu aprender a trabalhar com a central telefônica. Com o passar dos anos, a modernidade foi chegando ao hospital e ela lembra quando recebeu o primeiro computador. "Era tudo diferente e novo para nós, mas fomos aprendendo e vimos que tudo estava mudando para facilitar nossa atividade e sempre recebemos incentivo para trabalhar cada vez melhor", lembra.


Há 36 anos Marlene iniciou suas atividades no Hospital Hélio Anjos Ortiz (Foto: Arquivo / A Semana) /


Desde o início, todas as ligações passavam por Marlene e ela revela que o seu segredo para aprender números dos ramais e nomes de todos os funcionários, é algo que mantém guardado até hoje que são suas agendas. "Mesmo com o computador eu ainda tenho minhas agendas guardadas para consultar sempre que preciso", explica Marlene, acrescentando que para ser uma boa telefonista, a pessoa precisa de paciência, ética e responsabilidade. "Com o tempo fui pegando amor na profissão e hoje não em imagino fazendo outra coisa", diz.

Entre suas funções, está a de chamar equipe de Enfermagem e médicos nos momentos de emergência. "É preciso manter a calma e o profissionalismo diante de situações difíceis, pois na hora da emergência, é a telefonista que tem que chamar os responsáveis pelos atendimentos, com a maior agilidade possível, pois estamos trabalhando com vidas e cada ligação é muito importante", frisa.

Mãe de três filhos, Marlene diz que ainda pretende ficar muitos anos na função, por se identificar com o trabalho e com a equipe que a acompanha. "Criamos laços aqui dentro como se fosse uma família, somos amigos e estamos sempre nos ajudando", destaca.

A telefonista percebe que principalmente nos quartos, as pessoas pedem menos ligações, pois todos têm seus aparelhos celulares e não dependem mais do telefone fixo para se comunicar com outras pessoas, mesmo assim, garante que o dia a dia é movimentado e as ligações acontecem durante todo o dia, tanto internas quanto externas.

Atualmente, o HHAO conta com mais duas telefonistas Arlete Pereira Dias e Silvia Ortiz de Souza. Para Marlene, o Dia do Telefonista deve ser comemorado e lembrado, uma vez que é uma profissão importante para o dia a dia das empresas. "Estamos sempre concentradas na nossa sala e, muitas vezes, nem somos vistas, mas somos ouvidas por todos, dentro e fora da empresa, por isso, parabenizo a todos que seguem nesta profissão tão importante", conclui.

SOBRE A DATA

O Dia do Telefonista é comemorado desde 1956, mas a profissão é muito mais antiga e surgiu a partir da ideia de Alexandre Graham Bell, que no ano de 1876 inventou o telefone.

Com o passar dos anos, esse novo meio de comunicação se popularizou e foi então que surgiu a necessidade de um profissional que pudesse fazer as chamadas, onde essa pessoa faria a ligação de uma linha à outra de forma manual, permitindo a comunicação, surgindo então a profissão de telefonista.




JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711