35anos barrra.png
35anos barrra.png
  

O brado forte dos caminhoneiros

01 Junho 2018 15:30:00

'A maior prioridade não tem nada a ver com o material, e sim com gente'

Franciele Gasparini


(Foto: Kalyane Alves)/


Impossível fugir do tema. A mobilização dos caminhoneiros chegou com ares de que não duraria tanto, afinal, já tivemos demonstrações de paralisações e demais demonstrações de revolta com precariedades econômicas e carga tributária nos últimos anos, mas nada com o peso desta.

Organizados, alinhados e com uma só voz, o brado dos caminhoneiros tem o grito e o desabafo de cada brasileiro que paga impostos nesse país, que convive com a massa da carga tributária cada vez mais alta e massacrante. Afinal onde está o buraco negro que consome os nossos impostos?

Bem longe de pensar de pensar somente na essencialidade dos combustíveis, a maior prioridade não tem nada a ver com o material, e sim com gente. São pessoas que levam insumos essenciais, materiais de subsistência, dos mais básicas aos mais complexos para as prateleiras, áreas de carga e descarga, diariamente, vencendo a cada quilômetro diversas barreiras.

"A maior prioridade não tem nada a ver com o material, e sim com gente"

Difícil quem não tem um pai, tio, amigo ou conhecido que vive da profissão de caminhoneiro. Entre uma viagem ou outra, estão a saudade da família e a responsabilidade de quem está atrás do volante. Tem aqueles que carregam as lembranças dos homens e mulheres que perderam a vida na condução de seus caminhões.

Agora vemos um país de rodovias paradas, produtos se esgotando, uma rotina totalmente nova e que precisa nos colocar a pensar na importância da classe para a economia brasileira. Fato este que já está mais que claro entre a maioria, só não parece estar tão evidente aos governantes que travam verdadeiro cabo de guerra nessa batalha. Fica o questionamento, quem vai ceder?

A greve da classe também nos trouxe outros questionamentos em relação à informação. Na tevê, a guerra pelo posicionamento midiático; no WhatsApp, as fake News e os memes se misturam a conteúdos de valor confundindo a cabeça dos interlocutores, que também não se mostram muito preocupados com o que procede ou não. Os mais desmiolados manifestam um desejo de liberdade muito confuso tendo em vista os acontecimentos da Ditadura, colocando à prova o seu próprio direito de reivindicar a sua liberdade.

Nós, como profissionais da comunicação, nos questionamentos sobre os rumos da notícia, pois convivemos diariamente nesse joguinho tendencioso do verdadeiro ou falso e colocar no papel ou na web a veracidade dos acontecimentos é um exercício prazeroso, árduo e devidamente reconhecido pelos manifestantes que recebem nossa equipe de reportagem com muito respeito, facilitando o trabalho de levar a informação clara e objetiva à frente.


JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711