35anos barrra.png
35anos barrra.png
  

Estrela decadente

26 Janeiro 2018 00:03:00

'Não há prova que seja apresentada que convença aqueles que não querem enxergar o óbvio'

Tatiana Ramos


(Charge: Syssa Scheffer) /


"Não importa quão alto você esteja, a lei está acima de você". A frase do desembargador Leandro Paulsen, um dos responsáveis pela condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2ª instância, na tarde da última quarta-feira (24), serviu como alívio para a população brasileira, cansada de ver os grandes criminosos de colarinho branco safarem-se impunemente de seus crimes, e de alerta para aqueles que, julgando-se intocáveis pela posição que ocupam, sentem-se seguros para realizar suas falcatruas. 

Mais do que uma frase de efeito, no entanto, a lição que o desembargador quis passar foi reforçada pela decisão unânime do TRF-4 de manter a decisão do juiz Sérgio Moro e, além disso, aplicar a Lula uma pena ainda mais severa, de 12 anos e um mês de prisão. Com a decisão, a Justiça acalma a opinião pública e segue o processo de reversão do senso comum sobre a famosa "cegueira" quando se trata de criminosos importantes - processo iniciado com a Operação lava Jato e personalizado pelo juiz federal Sérgio Moro.

Mas, obviamente, nem todos estão satisfeitos com o resultado. Petistas foram às ruas, durante o julgamento de Lula, manifestar seu apoio ao ex-presidente e protestar contra o que consideram acusações infundadas e sem provas. Provas que, por mais contestadas que sejam pela defesa de Lula, foram consideradas suficientes para os desembargadores que analisaram as denúncias.

E é aí que está o impasse: enquanto a Justiça imputa a Lula crimes graves e tenta colocá-lo na prisão por isso, uma parcela da população defende-o cegamente e coloca-o no topo das pesquisas extraoficiais para as eleições de outubro. Não há prova que seja apresentada que convença aqueles que não querem enxergar o óbvio: Lula corrompeu-se no processo e levou com ele um grande número de nomes ilustres do PT (alguns já encarcerados pela Lava Jato), deixando um partido que já foi referência de luta social no país em meio a um escândalo de proporções internacionais.

Agora, aguarda-se que a Justiça mantenha a arrancada que tem dado rumo à retomada de credibilidade e os ministros do TSE coloquem por terra a chance de um condenado por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro chegar à Presidência do país. Extraoficialmente, o TSE já sinalizou que essa deve ser sua posição e espera-se que seja mantida.

No entanto, independente da prisão de Lula ou mesmo de seu possível retorno ao comando do país, seu nome e o do PT estão manchados. A tradicional estrela vermelha está em decadência e, com ela, tudo o que já representou um dia.


JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711