Curitibanos,
35anos barrra.png
35anos barrra.png
  
CarlosHomem.jpg

TATUAGENS

13 Maio 2018 07:00:00

Busca-se, afinal, o quê, com tais carimbos na pele?

Carlos Homem

Caminhava na minha frente aquela moça bonita trajando um short. Dona de um belo par de pernas. Ela tinha consciência que despertava a cobiça masculina. Mas, e sempre tem um "mas" para complicar as coisas, havia na perna direita da menina, no meio da coxa, uma tatuagem larga e indecifrável que a circulava.

Me perdoem os tatuados. Tenho horror às tatuagens! São todas feias e de mau gosto. A maioria já desbotadas, borradas ou escorridas, parecendo maquiagem que pegou chuva. Estejam elas localizadas aqui, ali, ou escondidas em sítios menos visíveis com apelo erótico. Quase todas indecifráveis e indefinidas. As tatuagens tiram, poluem, descaracterizam e despersonalizam a originalidade. Quebram a simetria do belo, do perfeito.

Se nascemos lisinhos, qual a razão de nos rabiscarmos com garranchos arbitrários? Quem pode entender essa decisão de marcar o próprio corpo como eram assinalados os escravos com ferro em brasa. Ou o gado para identificar o dono? Busca-se, afinal, o quê, com tais carimbos na pele? Ser diferente?

Mostrar revolta, desobediência, protesto, independência, saudosismo medieval? Fascínio por alguma coisa que existe no seu interior? Marcar o corpo ao longo da história sempre foi um sistema violento de controle e tortura. Já imaginaram todos nós com o número do CPF tatuado na testa? É tormentoso entender alguém submeter-se a violência física para imprimir no seu corpo, definitivamente, uma figura, frase, símbolo, nome, ou o diabo que o carregue!

A aparência é um patrimônio visível da pessoa e da sua identidade. Uma criatura tatuada pode revelar com isso traços da sua própria personalidade, como também mascará-la ou deformá-la. Quem sabe a tatuagem seja apenas a forma de alimentar desejos inquietos. Vai saber?


JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711