Curitibanos,
35anos barrra.png
35anos barrra.png
  

Segredos descortinam verdades

05 Novembro 2017 23:02:00


(Foto: Divulgação)

Quando alguém nos conta algo pessoal que exige sigilo e confiança nem sempre somos capazes de armazená-los em um espaço privativo em nossa memória. Mas, ao mesmo tempo, um abraço e um agradecimento pela confiança podem ser um fechamento amistoso, que sela a importância de uma amizade. Até porque determinados segredos apresentam seu tempo e/ou espaço exato serem revelados. Mais dia, menos dia, todos ficarão sabendo, principalmente em se tratando de uma pessoa pública ou de uma celebridade. Ou até mesmo uma pessoa comum em seu contexto de amizade ou profissão.

Segredo... Silêncio

Muitas vezes o silêncio, por exemplo, em uma rede social, em um evento, no mundo dos famosos, ou das pessoas de nosso convívio diário, pode conter uma razão secreta/ um segredo até então despercebido. Uma curiosidade pessoal intransponível capaz de erguer muros de isolamento. O que significa a relevância das intencionalidades em nos sentirmos parte ativa ou passiva de um grupo. Onde nossos motivos, às vezes puras elucubrações, podem distorcer as opiniões a nosso respeito. Assim, um simples motivo pode se transformar em uma bola de neve. E então, talvez uma simples pergunta possa trazer a "introspectiva opinião/segredo" à baila... E as verdades subterrâneas podem emergir como determinantes para permanecermos ou em silêncio absoluto.

Vai Vem

Nem sempre nos flagramos quando determinados pensamentos repetitivos, uma espécie de vai e vem, percorrem nossos pensamentos. Igualmente, nem sempre paramos para analisar a essência do que está ocasionando este tipo de sensação. Pela simples verdade de que é algo secreto/segredo que ainda não detectamos. Ou, pelo contrário, identificamos, porém não permitimos que fosse divulgado.

 Verdade descortinada de John Green

"O autor fenômeno da literatura" dos pré-adolescentes, adolescentes e jovens, tal qual em um de seus maiores sucessos, "A Culpa é das Estrelas", em seu novo romance, Tartarugas até lá embaixo, lançado recentemente, aborda uma questão de saúde. Revela seu segredo aos quarenta anos, através da personagem AZA. Apresenta o medo e a opressão de uma jovem que não consegue controlar sua mente. Green é uma pessoa com TOC- Transtorno Obsessivo Compulsivo, o que apresenta com muita sensibilidade, transmitindo aos seus milhões de leitores o que sente uma pessoa com o pensamento obsessivo e os reflexos em uma pessoa que leva uma vida produtiva. Aza é obcecada por bactéria e infecções, o que a leva a atitudes de periculosidade em relação a sua saúde. Segundo o autor americano, é muito difícil falar sobre o que sente uma pessoa que tem este Transtorno, o que justifica o segredo de muitos casos em nosso entorno.

Segredos descortinados podem contribuir. Repense o seu.

"É muito estranho: sabemos que a nossa cabeça é doida, mas mesmo assim não conseguimos fazer nada em relação a isso, entende? Não é que a gente se iluda achando que comportamentos desse tipo são normais. A gente sabe que tem um problema. Só não consegue descobrir o que fazer para consertá-lo."


JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711