Curitibanos,
logo35.png
a semana-logo.png
redes.jpg

Pescador da Paz

18 Dezembro 2017 16:10:00

Sulisia Westphal


(Foto: Divulgação)

Conseguir estar à beira de uma praia calma na semana que antecede o Natal, é um verdadeiro presente antecipado, sonhado por muitos. Estar em companhia de pessoas amadas, de crianças correndo e se divertindo, aumenta esta dose de bem estar.

O impacto

Observar um pescador tranquilo com seus aparatos básicos como seu colete cheio de bolsos, seu molinete, guarda sol, cadeira, chama a atenção. Principalmente por ser encontrado dias seguidos nesta rotina, neste mesmo espaço. De repente, um movimento agitado. Imaginamos um peixe incomum. Mas incomum foi a cena observada neste pacato cenário: Um banhista de uns cinqüenta anos aproximadamente, de um calção verde bandeira empurrava o pescador e falava em tom muito alto. Em seguida pegou o molinete e quebrou-o em três partes. O pacífico pescador calado, sem reação. O banhista afastou-se completamente transtornado, mal educado e xingando em alto tom. O pescador, calmamente observou seu equipamento de pesca quebrado e o trouxe até o guarda-sol. Logo as pessoas forma se aproximando, e de um a um queriam entender o ocorrido constrangedor. O pescador ainda impactado com o seu molinete destroçado explicou que o banhista, com tanto lugar escolheu como local para banho exatamente onde estava a linha e o anzol e deve ter tomado um susto ao se enroscar. Nós como espectadores da agressão quase sem nexo concluímos que o tal banhista devia estar alcoolizado, estressado ou drogado. Mesmo assim, nada justificaria o comportamento alterado e a ação de violência dentro deste cenário pacífico.

A Lição

Os contextos atuais merecem atenção redobrada em todos os espaços e ambientes. As pessoas estão cada vez mais desequilibradas emocionalmente. Uma buzinada no trânsito pode custar uma vida... Uma linha com isca no mar pode custar um molinete e agressões física e verbal desnecessárias. O importante é estarmos fisicamente e emocionalmente equilibrados para reagirmos com sabedoria diante de pessoas alteradas, "surtadas", desequilibradas. Acreditamos que o PESCADOR DA PAZ deixa uma mensagem inesquecível diante do Pinheiro de Natal. Vamos acionar o domínio próprio para não deixar-nos contagiar por atitudes incabíveis, agressivas, transtornadas, desequilibradas.

Que a paz do Pescador habite intensamente em você e seus familiares.

FELIZ NATAL E 2018, ABUNDANTE EM AÇÕES E REAÇOES DE PAZ.

Pescador de Ilusões

Ah! O pescador ainda apresentando muita tranquilidade guardou todos os seus pertences e foi para casa. A pesca foi encerrada abruptamente. Não pudemos constatar se comprou um molinete novo e retornou à pesca na tarde seguinte. Mas para todos que presenciaram o fato em si, após ouvir os relatos da vítima, que se prontificara a ajudar o banhista, fica a pergunta: - Quem de fato ficou melhor? O agressor ou a vítima? Valeu à pena? O pescador da paz é a vítima ou o culpado neste cenário? O que mudar para não ter a experiência repetida? Vale buscar a letra da música do Rappa "O Pescador de Ilusões". ...Se eu ousar catar na superfície de cada manhã qualquer, as palavras de um livro sem final...


OculoseCia.gif
ConexaoMaster.gif


 

INFORMAÇÕES E CONTATO

Rua Daniel Moraes, 50, Bairro Nossa Senhora Aparecida - 89520-000 - Curitibanos/SC (49) 3245.1711

Copyright © 2015 A SEMANA EDITORA LTDA. Todos os direitos reservados.