35anos barrra.png
35anos barrra.png
  

Pescador da Paz

18 Dezembro 2017 16:10:00

Sulisia Westphal


(Foto: Divulgação)

Conseguir estar à beira de uma praia calma na semana que antecede o Natal, é um verdadeiro presente antecipado, sonhado por muitos. Estar em companhia de pessoas amadas, de crianças correndo e se divertindo, aumenta esta dose de bem estar.

O impacto

Observar um pescador tranquilo com seus aparatos básicos como seu colete cheio de bolsos, seu molinete, guarda sol, cadeira, chama a atenção. Principalmente por ser encontrado dias seguidos nesta rotina, neste mesmo espaço. De repente, um movimento agitado. Imaginamos um peixe incomum. Mas incomum foi a cena observada neste pacato cenário: Um banhista de uns cinqüenta anos aproximadamente, de um calção verde bandeira empurrava o pescador e falava em tom muito alto. Em seguida pegou o molinete e quebrou-o em três partes. O pacífico pescador calado, sem reação. O banhista afastou-se completamente transtornado, mal educado e xingando em alto tom. O pescador, calmamente observou seu equipamento de pesca quebrado e o trouxe até o guarda-sol. Logo as pessoas forma se aproximando, e de um a um queriam entender o ocorrido constrangedor. O pescador ainda impactado com o seu molinete destroçado explicou que o banhista, com tanto lugar escolheu como local para banho exatamente onde estava a linha e o anzol e deve ter tomado um susto ao se enroscar. Nós como espectadores da agressão quase sem nexo concluímos que o tal banhista devia estar alcoolizado, estressado ou drogado. Mesmo assim, nada justificaria o comportamento alterado e a ação de violência dentro deste cenário pacífico.

A Lição

Os contextos atuais merecem atenção redobrada em todos os espaços e ambientes. As pessoas estão cada vez mais desequilibradas emocionalmente. Uma buzinada no trânsito pode custar uma vida... Uma linha com isca no mar pode custar um molinete e agressões física e verbal desnecessárias. O importante é estarmos fisicamente e emocionalmente equilibrados para reagirmos com sabedoria diante de pessoas alteradas, "surtadas", desequilibradas. Acreditamos que o PESCADOR DA PAZ deixa uma mensagem inesquecível diante do Pinheiro de Natal. Vamos acionar o domínio próprio para não deixar-nos contagiar por atitudes incabíveis, agressivas, transtornadas, desequilibradas.

Que a paz do Pescador habite intensamente em você e seus familiares.

FELIZ NATAL E 2018, ABUNDANTE EM AÇÕES E REAÇOES DE PAZ.

Pescador de Ilusões

Ah! O pescador ainda apresentando muita tranquilidade guardou todos os seus pertences e foi para casa. A pesca foi encerrada abruptamente. Não pudemos constatar se comprou um molinete novo e retornou à pesca na tarde seguinte. Mas para todos que presenciaram o fato em si, após ouvir os relatos da vítima, que se prontificara a ajudar o banhista, fica a pergunta: - Quem de fato ficou melhor? O agressor ou a vítima? Valeu à pena? O pescador da paz é a vítima ou o culpado neste cenário? O que mudar para não ter a experiência repetida? Vale buscar a letra da música do Rappa "O Pescador de Ilusões". ...Se eu ousar catar na superfície de cada manhã qualquer, as palavras de um livro sem final...


JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711