ASemana 36 anos.png
ASemana 36 anos.png
  

DESEJAR O BEM

07 Maio 2018 13:59:00

Sulisia Westphal


(Foto: Divulgação)

Outro dia, perguntei qual o segredo de um grupo de jovens cuja qualidade e criatividade na amizade duradoura saltam aos olhos. Acompanho fragmentos das movimentações do referido grupo por quase duas décadas... A resposta veio imediata: Uma deseja muito bem a outra... Fiquei impressionada pela simplicidade, rapidez e convicção na resposta. Diante disto, faz alguns dias que tais palavras vêm ecoando e eu, tentando aprofundá-las.  

Desejar o bem parece algo tão natural, tão óbvio... Na verdade, quanto mais venho observo as pessoas, e estou atenta a esta característica, mais reafirmo algo impactante: Desejar o bem ao outro também está na lista das extinções.

Em baixa:

2018! Constato que o índice de pessoas que verdadeiramente desejam o bem de quem está próximo continua cada vez menor. Ou as pessoas pensam somente em si mesmas, ou se estende até o seu entorno pessoal, ou ficam em cima do muro, alienadas, esperando tudo acontecer sem posicionar-se ou tomar à frente, sem um olhar de interesse, de carinho.

Em alta:

O que está em ascensão são as críticas duras, sem fundamentos, sem flexibilidade, julgando pessoas e fatos sem o menor escrúpulo ou conhecimento de fato. Os "pré-conceitos, os pré-julgamentos" movem as massas, as manifestações. Uma foto, uma frase, uma opinião é capaz de mover muitas outras através das redes sociais, sem qualquer conhecimento de causa, trucidando duramente toda uma história de uma pessoa, construída com muitos valores...

Se recentemente a pessoa era aplaudida, em questão de meses, sem oportunidade de ouvir suas razões, seus motivos, a mesma pessoa é vaiada e taxada, excluída com muitas características não verdadeiras.

Tentativas

Desejar o bem caminha lado a lado com a empatia. Quando nos colocamos no lugar das pessoas na tentativa de compreender suas atitudes, suas ações e reações e, tentamos o diálogo para conhecê-la e entendê-la, conseguirmos ser capazes de desejar o bem.

Raramente podemos observar e comemorar os resultados de uma corrente do bem, de gestos solidários e prol de uma causa que une uma comunidade. Quando acontece, geralmente o resultado permanece silencioso. Pois até neste tipo de movimentos já constatamos verdadeiras fraudes... O que mais uma vez demonstra que ao desejar o bem, muitas vezes somos enganados... As aparências vêm se intensificando. Infelizmente longe do alvo: desejar o bem...

Coincidência

Faz poucas horas que um colega de trabalho, muito querido pela comunidade educativa, reunido com um grupo de pais, aposentados e colegas, em uma quadra de vôlei fraturou gravemente o pé. Dispõe agora de um novo acessório: uma bota de gesso e com a recomendação de pelo menos quinze dias sem colocar o pé no chão...

Entre as reações alguém pergunta como não sabia do jogo de vôlei... Quando na verdade, penso eu, que primeiro deveria estar desejar o bem em sua recuperação, lamentar a falta de sorte em uma atividade tão saudável... Foi então que intensifiquei as buscas por esta característica...

Cobrar, criticar, detonar uma pessoa é fácil

Realmente, é muito fácil cobrar dos outros... Difícil é alguém oferecer possibilidades, sugestões, ideias diante das circunstâncias que nem sempre são favorecedoras. Podemos errar, sim. Podemos estar no segmento das pessoas que não se auto-percebem pensando ou desejando o bem do outro. Olhar demasiadamente para o próprio umbigo, ser hedonista, querendo tudo perfeito para o "seu desejo, para o seu bem"...

Que possamos permanecer entre as pessoas sobrevivendo às adversidades virtuais e reais, Sendo gratas pela sensibilidade e o constante desejar o bem "extremamente vivos" dentro de nós, refletindo por onde passamos...

Alerta

 Olho nas "pessoas peso" que estão próximas e só sabem exigir, cobrar, reclamar, ser vitimistas, falsas... E que facilmente nos envolvem em seu discurso pessimista sobre tudo e todos.

Mais olho também nas "pessoas combustíveis", àquelas que nos seduzem pelo seu caráter em desejar o bem, que nos movem pelo otimismo, pelo alavancar de nossas ideias, que nos apoiam que caminham ao nosso lado e nos fazem crescer e acreditar no ser humano.

Ouvi e gostei: " Aves da mesma plumagem voam juntas"! Como é importante perceber um bando voando conosco. Mas, também para isso existem as escolhas...

COM PLUMAGENS POSSO VOAR ALTO COMO ÁGUIA OU VIVER COMO GALINHA... Ui!!!


Jornal "A Semana" | Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida | 89520-000 | Curitibanos | (49) 3245-1711