35anos barrra.png
35anos barrra.png
  
Sulisia.png

CONEXÃO
17 Setembro 2018 11:12:00


Foi revendo a História da eternizada Professora de "Puericultura", Ivone Therezinha Magalhães Vilas Boas, pioneira no ramo de Odontologia, a primeira mulher dentista de Curitibanos, que um flash me remeteu aos tempos de Magistério, no Colégio Santa Teresinha. Foi em uma manhã que ela combinou com a turma toda, mais ou menos vinte estudantes de 16 anos, para irmos até sua casa assistir um banho de bebê (sua filha) ao vivo, com as características teóricas da disciplina. Início da década de 70, e um cenário todo preparado para o banho... Inesquecível! Gratidão! Mais de quarenta anos depois, com certeza, a maioria já deve estar repetindo os banhos com seus netos, relembrando tal aprendizado... 


(Foto: Franciele Gasparini) /


PUERICULTURA?

Quem sabe o que é? Significado? Conceito? Sempre que me refiro a um passado sem TV, celular, internet, fica bastante difícil alguém conseguir imaginar tal contexto. Então, como resposta, conto que para termos a formação de Professora, estudávamos na disciplina "Puericultura", o famoso livro do DR. Rinaldi De Lamare, hoje em sua 43ª edição, com mais de seis milhões de exemplares vendidos. E a Professora da disciplina, que abordava "os cuidados do bebê da gestação ao nascimento, e seu desenvolvimento, era a conhecida Dra. Ivone.


Em 2018

Penso que quase todas as mães quando querem saber informações (puericultura), dados sobre seus filhos desde a barriga, ao nascimento e seu desenvolvimento, têm vários apoios, como os centros de saúde, palestras, livros, internet, médicos, pediatras, grupos de Whats com crianças da mesma faixa etária.


O que eu não sabia

Que o Ministério da Saúde disponibiliza online o Caderno da Criança. Uma oferta de Atenção Básica Nº33/ (2012) para qualificar o cuidado, crescimento e desenvolvimento das crianças de zero a dois anos, cujo índice de mortalidade teve grande redução. Traz importante conjunto de ações envolvendo saúde, educação, assistência social. Entre elas, orientações para organização do trabalho e as questões tradicionais, envolvendo a supervisão das imunizações.

Ao mesmo tempo, uma ferramenta que aborda a alimentação saudável, tão essencial em nossos dias pela já considerada "epidemia de obesidade infantil", e os cuidados e atenção para a criança em situação de violência.

Assim, mais um canal disponibilizando teoria, práticas, experiências, depoimentos de familiares e as melhores evidências científicas. "Cadernos de Atenção Básica Nº33", (Puericultura de outrora)!  

Boa Leitura!  



10 Setembro 2018 09:15:00


(Foto: Divulgação)

Frequentemente deparamos com a "reinicialização" na informática. É o processo pelo qual um sistema de computador em execução é reiniciado, intencionalmente ou não. Pode ser o ato de desligar e ligar novamente um equipamento, uma máquina ou dispositivo com o objetivo de restaurar os ajustes do sistema. Também ouvimos com bastante intensidade a expressão "resetar" que é a ação ou o ato de apagar (desfazer) opções escolhidas ou configuradas, leva a reinicializar o dispositivo. Atos que envolvem momentos de expectativas, pois ao reiniciar, nem sempre obtemos os resultados esperados.

Na vida real não é diferente. Muitos aspectos circunstanciais são totalmente imprevisíveis e nos fazem começar tudo outra vez. Ou pelo menos nos fazem refletir sobre os porquês e paraquês que subitamente mudam os rumos e as trajetórias, as linhas do tempo, as expectativas que prevemos. Muitos podem ser os "agentes do destino" que promovem o inesperado, e, portanto a "reinicialização" de nosso viver. Fato bastante evidenciado na última semana, com um dos candidatos presidenciáveis. Acredito ser um inesperado que causou e continua causando um turbilhão de sentimentos completamente diferentes em várias partes do mundo...

 Recentemente acompanhei quatro pessoas próximas que, em tempos diferentes foram impactadas com o imprevisível, e assim tiveram que experimentar uma reinicialização pessoal forçada. Apenas fraturaram um pé. Foi o suficiente para emergir a obrigatoriedade do reinicializar. Começar tudo de novo!  Encontrar alternativas para realizar as atividades pendentes, pois as rotinas familiares simplesmente foram interrompidas abruptamente. Em segundos uma virada do pé é o suficiente para nos desinstalar, nos paralisar de tal forma a nos tornarmos extremamente dependentes. Por um gesto inesperado nos vemos sem autonomia para prosseguirmos em nossa rotina habitual. Passamos a necessitar de mudanças urgentes para nos restaurarmos, nos readaptarmos diante do novo e conseguir ir adiante. 


(Foto: Divulgação)

Agentes do destino

Penso que muitos brasileiros em plena semana da Pátria conseguiram parar e refletir sobre os efeitos dos imprevistos e principalmente dos cuidados essenciais em nossa vida. 

Que convite a vida pode estar nos oferecendo através de tais episódios? Que elementos de transformação podemos oferecer, em nosso entorno, mas principalmente a nós mesmos?

Entre o que pensei está amar, contemplar o belo, o que é bom. Semear valores, otimismo e contemplar tais sementes transformadas em florestas densas, abrigando pessoas que inspirem confiança, que se deixem contagiar por seres humanos com ética, com respeito e valorização à vida.

Reinicialize o seu viver. Eleja e tente mais uma vez alcançar suas prioridades. Procure ser um "agente do destino" que faz a diferença para o bem dos outros. Não espere fraturar o pé, a alma...


03 Setembro 2018 20:00:00

$artigoImagemTitulo


(Foto: Divulgação)/

Penso... Repenso e afirmo: COMO ERA BOM!

Refiro-me aos tempos de minha infância em que vivi e cresci intensamente dentro da cultura alemã. Com os primos falar o idioma era obrigatoriedade até nos momentos de brincadeiras e que não eram poucos. Não existia televisão! Na época, nossos pais já sabiam que quando entrássemos na escola o português predominaria. E assim, para a vida toda. Alguns pais ainda vivos e tem o privilégio de acompanhar o efeito positivo de tal cobrança. O idioma ficou arquivado para sempre. Suporte até para nos comunicarmos perfeitamente em nossas idas à Alemanha. 

Mas não foi só ele, o idioma. Foram as vivências de maneira geral. Muito forte também ficaram as músicas da época: As bandinhas, as valsas, as marchinhas, as festas dos Clubes Caça e Tiro, os Reis e as Rainhas acompanhados das bandas. Os inesquecíveis bailes, tempos em que os filhos podiam acompanhar os pais e espiá-los do andar superior do Clube. As festas de casamento com as bandas alemãs até o amanhecer. Entre elas, está a dos Montanari, hoje festejando seus sessenta anos. Muitas músicas acompanham as gerações, o que esteve muito visível neste final de semana em Blumenau, na Vila Germânica, com excursões de grupos alemães vindo de várias partes, principalmente do sul do Brasil.

A KOMBI AZUL que marca o início da Banda entrou pelo meio do Pavilhão acompanhada de seus inúmeros fãs registrando com seus celulares. Dentro dela os integrantes realizando sua última viagem em uma Kombi histórica. Lágrimas de uns, emoção de todos. Quis o destino que ela retornasse a Concórdia, cidade de origem. O sorteio foi realizado ao vivo por uma aniversariante que cumpria sessenta anos na mesma data.

Em seguida, baixando uma gigante guirlanda de flores naturais todos puderam relembrar os muitos momentos de Kerb, com as Bonecas Kerbfest. Boneca típica nos bailes no sul do país, que ficam penduradas no centro do salão de festas e a meia-noite são leiloadas, arrematadas, e vendidas por um determinado grupo ou pessoa, que se dirige ao centro do salão onde a boneca escolhida se encontra e a arrancam. Neste evento o dinheiro arrecadado foi para uma Instituição Beneficente de Blumenau.

No repertório da Banda Aniversariante estão canções típicas de tradição alemã, variando conforme o baile ou a festa típica de cada região. Em sua discografia mais de 30 CDs gravados. Para os fãs, mais novidades podem ser encontradas pelo www.facebook.com/bandaosmontanari-www.instagram.com/osmontanari e www.montanari.com.br

COMO ERA BOM E CONTINUA SENDO! Por isso quase grito para a humanidade: Insiram seus filhos em vivências culturais e familiares de corpo e alma. Investimento para sempre!


27 Agosto 2018 11:59:00

$artigoImagemTitulo


(Foto: Sulisia Westphal)/


Recordo de muitas comemorações do Dia das Mães e dos Pais na Escola. Alguma como filha (ainda tenho na memória poesia que recitei no primeiro ano) e muita como professora e coordenadora de Formação e Valores. Momentos inesquecíveis. Entre eles, àqueles bem difíceis em que havia a perda da mãe ou dos pais, e mais tarde com muita intensidade a separação dos pais e conseqüente fragmentação da família.

Quando em 2006 entrei na Rede Pública, confesso que fiquei impactada com a falta destas comemorações. Hoje, percebo com outros olhos, como vem sendo intensificada e valorizada em algumas Escolas a Festa da Família.

Acompanhei uma delas, em um sábado frio, porém ensolarado com uma presença considerável de pais e filhos. Entre as propostas no convite estavam brincadeiras com seus filhos. Pular corda, pular saco, rodar pneus, andar de pernas de pau estavam entre as preferidas unindo e divertindo as gerações.

Na parte anterior estava um gostoso café da manhã e uma palestrante da Guarda Municipal que veio falar de Segurança como investimento parental. Ou seja, é uma característica comportamental observada pelos psicólogos evolucionistas em algumas espécies. Significa o cuidado que os pais têm com "os filhotes" após o nascimento, (neotenia), característica das espécies cujo filhote nasce incapaz de sobreviver por si só. E que muitas vezes é negligenciada pelos pais, quando atribuem aos filhos uma autonomia precoce, justamente quando os relacionamentos afetivos são ainda imprescindíveis.

Nos anos iniciais é freqüente encontrar mochilas completamente ignoradas pelos pais, mesmo orientados a verificá-las diariamente quanto aos conteúdos da agenda, das atividades para casa...

Entre as sugestões: Assuntos que precisamos dialogar, perguntar, acompanhar: Como foi o seu dia, o que aprendeu... Demonstrar interesse e motivar o significado de estudar. Outros temas relevantes que não poderiam passar... O que desejam para o futuro, sobre bullying, cidadania, direitos, deveres, certo/errado, entre outros.

Dois vídeos que circulam na mídia (links e letra abaixo) apresentam características valiosas, a repensar sobre esses relacionamentos: Os (Des) Conectados e Quem você convidaria para jantar. Recomendo rever caso já tenha assistido. Pode render um bom momento em família. Onde muitas vezes "estamos presentes com cabeças ausentes visitando um mundo paralelo"... E, assim, podermos "fazer o jantar" ser importante, apostando no "Investimento Parental.


DESCONECTA

Daniel Sales


De corpos presentes cabeças ausentes, visitando um mundo paralelo

Com sites na tela e olhos na rede, somos gentes mais não temos elo

Como se a vida fosse nos doar 100 anos mais

Desprezamos as pessoas, preferimos só as coisas com Bluetooth e wi-fi

Como se o tempo num loop fosse aqui se repetir

A gente segue se perdendo em muitos clicks por ai

Cê fica na tua que eu fico na minha se me irritar eu te deleto!

Curtimos postamos para selfies sorrimos

Quantas vezes não se sabe ao certo

Tanta energia nos dedos mais tao fraco o coração

Nos tornamos guardados em nos mesmos, temos pós em solidão

Fato e que a vida e o tempo não irão se repetir

E agora o que faremos, o que iremos decidir

Desliga, desconecta e sem pressa vem r o por do sol comigo!

Aqui bem agora nessa hora vou compartilhar o meu melhor arquivo

O tempo com você!

Perdemos momentos, gastamos a vida, como escravos da modernidade

Alem dos limites, a mente delira se esquiva da realidade

E viciante perigoso e tão normal

Afinal, quem não possui conexão esta por fora do analfabeto digital

Laços rompidos famílias desfeitas mas funciona o 4g

E a gente só clicando, mas continua a se perder

COM QUEM VOCÊ QUER JANTAR




20 Agosto 2018 16:35:00

Mais uma reflexão que exige esforço diário:

Por que é tão fácil acusar alguém? Por que e para que sentimos necessidade de emitir críticas consciente e inconscientemente? Por que acusações, argumentos inadequados, puros "achismos", são tão fáceis, enquanto a prática da empatia, colocar-se no lugar do outro, e aceitá-lo como ele é tão menos freqüente em nossa vida?

Distante de argumentos fundamentados, de posturas éticas, de olhares ampliados sobre situações e histórias de vida, sobre as atitudes de uma pessoa, continua predominantemente mais fácil encontrar justificativas, identificação de culpados, acusações nem sempre expressas, mas sentidas, pensadas. Como é bem mais fácil criticar, ironizar, alguém pelo seu insucesso, pelo seu fracasso pessoal, familiar, profissional, acadêmico... Na verdade, pela nossa/minha falta de sensibilidade em auto-perceber-se.

Diariamente, em nosso entorno encontramos dedos acusadores para os outros acusados... Raramente voltados à nossa pessoa... Culpabilizar o outro parece em alta. Elogiar, ajudar o outro cada vez mais em extinção. Igualmente em pouca intensidade percebemos os convites da vida encararando transformações em si mesmos por e para ser uma pessoa melhor. De repente... Novo acusado está em pauta, em nossa mira, em nosso foco, como "criatura responsável pela minha incessante busca por justificativas que preencham o meu fazer, a minha ação, a minha insatisfação.

Atire a primeira pedra quem não está neste movimento, aí bem próximo a sua história.

Foi dentro deste cenário que caminhando no meio da manhã, uma mulher bem comunicativa entregou-me um folder com a seguinte inscrição: Oito Segredos para uma vida saudável! Mais saudável e uma melhor qualidade de VIDA!


(Foto: Sulisia Westphal)

Nem pensei que poderia ser um daqueles golpes que rondam os nossos tempos. Abri e li curiosamente. Em seguida, buscava a identificação de quem estava à frente desta surpreendente ação, tentando vender o quê.

Folder com designer moderno, atraente, entregue à luz do dia.

1. Ar Puro - Tenha plantas dentro de casa. Elas podem purificar o ar. Passeios em parques também são ótimos. 2. Luz solar - Alguns minutos da luz solar diários são imprescindíveis. Mas convém proteger-se. Proteger seu próprio organismo. 3. Água. 4. Alimentação Saudável. 5. Atividade física. 6. Repouso. 7. Temperança: Usar os abundantes recursos naturais equilibradamente. 8. Confiança em Deus!

Aqui estão oito itens perfeitos para nos "acusarmos" caso não estejam sendo praticados.

A surpresa do folder: Não era marketing de produtos nem promoção de ofertas. Os oito segredos estavam sendo divulgados impressos por uma Rádio cristã! Que grande exemplo!

Que possamos substituir nossas mentes acusadoras por promotoras de vida! De bem-estar!


(Foto: Sulisia Westphal)



13 Agosto 2018 10:25:00

$artigoImagemTitulo


(Foto: Renata Westphal) /


Recentemente, em um café da manhã em família, alguém focou em uma  

lata de achocolatado perguntando: - Vocês sabem o que é este quadrado?

Referindo-se ao RQ Code. E continuou: - Vamos ver o que tem aí?

Imediatamente apareceu um link, o qual clicado permitia o acesso ao

histórico da empresa do produto... E o diálogo em família teve

continuidade: - Vocês não estão lendo o Jornal A Semana impresso! Pois

em várias páginas o QR Código pode ser encontrado.

Pensei: Será que "Meu Grupo", àquele de pessoas que ainda não têm se

dado conta do significado do tal quadrado, que está em vários ambientes

em nosso entorno, consegue sentir a mesma sensação de

descontextualização, de ignorância digital, de não estar acelerada o

suficiente para dar conta da demanda tecnológica?



A experiência

Apresento para você testar este QR Code. Posicione o seu celular

Iphone ou Android, que já vem com o QR Leitor, com a câmera

aberta, no código que aparece nas páginas do Jornal A Semana 

e acesse o endereço que apresenta mais informações

sobre o tema que aparece na versão impressa. 


Onde foi parar?

No Jornal A Semana? Parabéns! Deu certo!

Se você é do "Grupo" que está rindo da nossa "lerdeza digital"e,portanto,

em acompanhá-lo, ainda há tempo para apresentá-los às pessoas de seu

convívio. Com certeza para muitos ainda é novidoso.

"QR code, ou código QR, é a sigla de "Quick Response"

que significa resposta rápida. QR code é um código de barras, que foi

criado em 1994, e possui esse nome, pois dá a capacidade de ser

interpretado rapidamente pelas pessoas."


Agora:

Já pode sair acessando os tantos RQ Códigos, os quadrados que circulam

nos produtos, na mídia, em vários locais pertinho de você. Mais uma

maneira de ampliar seus conhecimentos. E não diga que não avisei!

Que tal começar pelo A Semana?




06 Agosto 2018 10:13:00
Autor: Sulisia Westphal

É assim que muitas pessoas vêm se identificando... Sob pressão de quê? Por quê? Para quê? 

Tenho percebido um grande grupo de pessoas com diferentes idades, em diferentes horários demonstrando uma aceleração acima da média no corre-corre diário. Ou seja, apresentam sintomas de alguém que vive sob pressão diária. Tenho analisado as razões predominantes favorecedoras de tal quadro em nossas famílias... Redes sociais, trânsito, locomoção, finanças, cursos, atividades além da Escola, compromissos dos pais, dos filhos...

Já parou para pensar se este quadro também se instalou ao seu redor?

Duas situações recentes ampliaram essa reflexão: Uma pessoa utilizando um celular "das antigas" apenas para receber e fazer chamadas, o que proclamou em bom tom que é o suficiente. E outra, que saiu de seus dois grupos de whats, nos quais fora incluído sem ser consultado, e, argumentando ser completamente contra o que ali é "conversado".

Enredados

Percebo que muitas pessoas estão completamente enredadas nas tais "redes sociais". Sou uma delas. Vivo sob pressão diária. Fico relembrando como era a vida antes delas e agora. Simplesmente não conseguimos dar conta. Tornou-se impossível viver sem quando estamos profissionalmente ativos. No trabalho tem sido o canal de comunicação. Tenho feito um esforço para não contar de quantos grupos faço parte... É de arrepiar quando ouvimos alguém dizer: Criamos um grupo e "vamos nos falando"... Em minutos já estamos conectados em mais um.

Tempo disponível

É perceptível através dos horários das postagens quem administra melhor seu tempo ou tem realmente mais tempo para "navegar". Àqueles que conseguem discutir em grupo, parabenizar, elogiar, criticar, satirizar...

Ética

Por esta questão muitas vezes permanecemos integrantes silenciosos. Eventualmente nos pronunciamos, sem retornos... Contamos até mil para sair. Mas o preço é ficar descontextualizado.

Cobrança

Pressão em dobro acontece quando alguém diz presencialmente... Mas eu publiquei o link... Vocês não viram? Silêncio...

Despressurize

Postando apenas conteúdos relevantes conforme o perfil do grupo ou das pessoas. Para algumas o "Bom dia e Boa noite" são muito importantes. Para outras completamente dispensáveis. Para os familiares nem sempre os eventos de uns cabem aos outros... Sabedoria, critérios, quantidade e qualidade.

Pare! Analise suas redes de pertença e decida qual o tempo que continuará investindo. Pois bem ao seu lado existe alguém querendo pagar pelo seu tempo de afeto, de carinho, de escuta, de diálogo, de troca de olhares... De valorização, de elogios, de abraços...

Alerta: E quando vivemos momentos de tensão e/ou de emoção esquecemos completamente de clicar os maiores momentos. Ainda bem que podemos armazená-los no coração.


(Foto: Sulisia Westphal)

Com emoção, a foto é da colação de minha sobrinha e afilhada "Jornalista" Renata Westphal. Parabéns!

Sob Pressão porque pelo trânsito/mobilidade urbana, quase não chegamos a tempo de participar. Um estresse pelo horário e dia da semana. Sexta-feira, 18 horas, Blumenau, Teatro Carlos Gomes.



30 Julho 2018 16:52:00
Autor: Sulisia Westphal

$artigoImagemTitulo


(Foto: Divulgação) 

Até julho 2018 nunca ouvira falar da existência das Bolas Chinesas também conhecidas por Bolas da Saúde, Bolas Baoding, (????), Bolas Tai Chi. 

História

Segundo a História existem desde a Dinastia MING, (1368-1644). Sabe-se que quando surgiu foi utilizada para melhorar o condicionamento físico e moldar o temperamento mental.

Artrose

Estava tomando um café gostoso com uma amiga quando o assunto em foco foi a artrose,mais acentuada no inverno, principalmente nos dedos das mãos. A Diacereína já vem acompanhando quem vive esta degeneração. E entre uma opinião e outra, ela apresentou-me um estojo com as bolas chinesas. Fiz o teste e fiquei impressionada com o resultado em pouco tempo. Abaixo, apresento o site de um vídeo para conhecer uma das maneiras de manipulá-las entre os dedos.

Diferenças

Cabe diferenciar a artrose do que se chama de artrite. Esta palavra faz menção a uma inflamação na junta. Segundo o reumatologista Ari Halpern, do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, pode ser resultado de infecções, traumas ou doenças autoimunes".Enquanto a artrose por sua vez, é uma degeneração que começa na cartilagem entre as juntas e os ossos, processo que dificulta a movimentação.

Impacto

Quando há deformidade nos dedos, principalmente por histórico familiar, vamos perdendo a flexibilidade dos mesmos. Chega a ser incrível perceber a agilidade dos dedos e as bolas terapêuticas de uma pessoa que têm os dedos preservados.

Favorecedores da artrose

Idade, excesso de peso, histórico familiar, trabalhos manuais e uso abusivo do celular favorecem a artrose nos dedos.

Como prevenir e tratar

As bolas da saúde têm as funções de estimular a circulação do sangue e relaxar os músculos e juntas. Também recomendadas para prevenção de dormência e tremor das mãos, da artrite propriamente dita, dos dedos e pulsos e da hipertensão.

Também são utilizadas pela medicina tradicional chinesa como instrumentos terapêuticos. Servem para estimular a circulação de energia pelo corpo, contribuindo para o equilíbrio físico e emocional. Seu suave tilintar emite sons harmônicos o qual induz ao relaxamento mental e ao equilíbrio emocional.

Som agradável

Com o som tilintando elimina a sonolência, e é capaz de ajustar o centro nervoso beneficiando o cérebro, melhorando a memória e ajudando no estresse e na longevidade.

Como utilizar:


Bom uso!


23 Julho 2018 10:35:00




"Nas aguardadas "férias de julho", nada melhor do que reunir as maiores amigas e comemorar seu oitavo aniversário em uma" Noite do Pijama!

Mas quando é a primeira vez em uma família criativa... Dá pano pra manga... Para as ideias, para a decoração, para as brincadeiras, guloseimas, gastronomias... Até para reunir gerações da bisa a bisneta...

Betina, uma das minhas netas, sonhava com esta noite na casa da Vó Su! O mais difícil era encontrar uma data na agenda... Pensem na Vó e na Bisa cheia de programações...

Aqui? Por quê?

Uma sala ampla, com direito a uma barraca fake (foto), e com um condomínio repleto de opções diurnas e noturnas. Um desejo para reunir as melhores amigas e todas dormirem juntas.

Acessórios

Os colchões infláveis não podem faltar. Nem o tema e a mesa decorada... Desta fez o up esteve para o Urso Panda que começa a chegar ao mercado com muitas sugestões.

Em nossa história, além dos painéis, do personagem, dos copos, pratos e demais decorações, marcaram presença a nécessaire, as orelhas do Panda e o tapa olhos. Os donuts fofinhos e gostosos também dentro do tema foram inesquecíveis.




Criatividade

Os copos de listras rosa, dentro do tema, tiveram adesivos para personalisá-los utilizando o tradicional giz. Assim, cada uma identificava facilmente seu copo. Aliás, nesta faixa etária, o maior líquido consumido não foi refri, suco ou achocolatado... Mas a água. As tatuagens do personagem também tiveram muito ibope. Aplausos para a idéia da pinhata, que foi interrompida justo na hora do desmanche total... Tocou o interfone... Ruídos além dos permitidos para o horário... O bolo dentro do tema, o cardápio com a gelatina Arco Iris, os doguinhos, os nugets com batata palito no copinho... Os docinhos...

Brincadeiras

Vôlei de balões esteve entre as "mais-mais". A expedição noturna com Pimbolim, a Sessão Cinema com pipocas, o momento salão de beleza com manicures e maquiagens, o desfile das super modelos, as redes para se embalar, o parque, o gira-gira coletivo...

As Gerações

Como foi um evento de quase 24 horas, envolveu igualmente os "mais queridos", que são os dindos, os familiares: pais, tios, primos, irmãos...




Desafios

Tudo requer um planejamento antecipado. Pois a geração dos oito anos é hedonista. Os entretenimentos duram pouco e querem tudo para já. A pergunta do tipo: O que vai ter agora? São freqüentes.

Quem já viveu sabe que os "piores" momentos são quando um grupo não acompanha os demais na hora do sono... O que requer pais vigilantes o tempo todo... Pode ter um sonâmbulo... E, quando o evento acontece em apartamento, pois existem alegrias e manifestações que perturbarão com certeza os vizinhos.

Recomendo

Quem ainda não viveu, vale muito pelas lembranças alegres e inesquecíveis da infância.



16 Julho 2018 09:01:00





Para muitos o recesso escolar de julho pode ser a oportunidade de reorganizar as emoções com ou sem a presença dos estudantes. Pois de um lado eles não estando na Escola estarão junto aos familiares, o que significa tempo para qualificar as relações.

Pós-Copa

Com o final da Copa da Rússia é inegável dizer que continuamos como torcedores impregnados das muitas emoções compartilhadas no país maior do mundo.

Caverna

Paralelamente o resgate solidário na Tailândia, dos "Meninos da Caverna" que sensibilizou o mundo, permanece suscitando reflexões, bem como algumas críticas. Para alguns foi uma ideia sem cabimento, sem medir os perigos, as consequências. Para outros, que acompanharam a história foi a falta de sorte por terem sido surpreendidos por um acontecimento desafiador que exigiu um controle sobrenatural de um grupo fragilizado, resultando em vários dias encurralado, sem perspectivas. No entanto, conseguiu apresentar um controle emocional capaz de fortalecê-los e conseguirem sobreviver.

Os Pais

No momento do resgate soube-se que os pais dos meninos permaneciam acampados na entrada da caverna e as autoridades não divulgavam quem já fora liberto. Não davam a informação para que uns se alegrassem e outros continuassem sofrendo. Assim, uns oravam pelos outros e, ao mesmo tempo, respeitavam o limite e o esforço que vinha sendo feito para salvá-los. Um exemplo inesquecível de gratidão e respeito.




Os filhos

Você saberia identificar em que caverna encontra-se aprisionada (o)? Qual a sua perspectiva de conseguir sair?

As crianças/filhos da Tailândia nos deixam muitas lições. "Não importa quão escura, úmida, inundada e estreita esteja a caverna. Quando a nossa mente e coração estão alinhados com um só propósito, o de sair da caverna. A mente tranquila, aquecida pela gratidão de estar vivo, transborda amor, e permite o coração bombear o sangue normalmente".

Dias Felizes

Podem acontecer se você permitir seu desacelerar e organizar seu tempo de maneira que aproveite o convívio em família com menos celular e mais olhares, mais ouvir e abraçar, cultivando o amor. Momento de destacar o "ouro" de cada um respeitando suas peculiaridades e demonstrando gratidão. Um verdadeiro reabastecimento das emoções em família.



09 Julho 2018 08:38:00



Assistir à garra, a velocidade, a sorte nos passes e chutes dos times finalistas sinalizava que as expectativas do povo brasileiro em comemorar o HEXA, podiam mais uma vez chegar ao fim.

Assim, mais uma vez com o sonho adiado, novas gerações crescem sem a alegria da conquista de uma Copa Mundial de Futebol. Conhecer e compreender essa "paixão" ficou nas trocas e nos álbuns de figurinhas, que com certeza foi uma pré-copa entre as gerações.

É possível ganhar quando se perde?

Reflexões, buscas, pesquisas pelos "porquês"... A Copa na Rússia nos presenteia com várias reflexões... Se os times sul americanos uma a um voltaram antes da Grande Final, se Grandes Campeões tiveram o mesmo resultado, reconhecer soberania de alguns times não é nada fácil. O que de fato está oculto e que promove o visível desejar ganhar?

Perder pode instigar o aprender...

Os bastidores: o contexto nacional, o trabalho coletivo...

Recolher as bandeiras, as vuvuzelas, os adereços e treinar o aprender a esperar por mais longos quatro anos para renovar nossa esperança, nossas expectativas.

Os efeitos de um coração torcedor

Aperto, dor, tristeza, frustração, incompreensão da falta de sorte nos chutes a gol, o sofrimento nas partidas suadas, os gritos contidos, os medos, a desconfiança, o não acreditar no modelo de jogo de futebol brasileiro, as "Estrelas" isoladas, saindo derrotas sem um abraço e um choro coletivo... E os torcedores de verde, amarelo e azul, mais uma vez comprimindo suas emoções.

E agora?

Procurar um novo foco... Buscar possibilidades para renovar o nosso sentir. Cada um em sua individualidade precisa marcar seus próprios gols encontrando alternativas que amenizem seus sentimentos. Uma espécie de "cuidado" para o que pensamos, vivemos, sentimos. Pois segundo estudos recentes, Filipe Vilicic - neurocientista, os sentimentos têm um papel essencial no progresso ou atraso civilizatório.

Aproveitemos nossa frustração, nossa impotência como derrotados e treinemos e aprender e igualmente disseminar como lidar com nossos próprios sentimentos. Identificando as vantagens dos bons no intuito de disseminá-los. Ao mesmo tempo, para uma vida melhor, estar atento aos sentimentos ruins e exercitar buscando formas de como contê-los.

Assim estaremos contagiando e contribuindo para as novas gerações estarem mais bem preparadas como torcedores que acreditam e impulsionam seus times, e consequentemente reagindo e aprendendo sempre.



02 Julho 2018 14:16:00
Autor: Sulisia Westphal

$artigoImagemTitulo


(Foto: Divulgação) 

Confesso que quando esta novidade chegou a minha família, achei bastante estranho. Sempre tive a sensação de que para a criança estivessem sendo desconfortáveis, tantas pontinhas em tons de amarelo, ao redor do pescoço, 24 horas. 

Na verdade, os meses foram passando, e segundo minha filha o objetivo do tal colar era amenizar os efeitos colaterais da ruptura da dentição. Até então, parecia funcionar...

De repente, um fato novo. A pequena Alice de um ano e três meses estava babando continuadamente. Uma novidade e a constatação: Estava sem o colar que havia sido esquecido em casa após o banho. Inacreditável, que muitos babeiros fizeram parte do enxoval e praticamente nenhum fora usado. Quando o colar voltou ao pescoço, a baba parou de escorrer. Este simples acontecimento gerou uma busca investigativa a respeito.

Quantos aspectos revelados:

Alice sempre é admirada pela sua calma. Uma criança feliz e tranqüila, quase imperceptível entre os primos e adultos. Interage e começa a se comunicar muito bem. Febre e irritabilidade ausentes durante o processo de dentição. Sono tranquilo. Alimenta-se muito bem.

O âmbar

É uma terapia alternativa terapêutica presente naturalmente, com excelente resposta imunológica, além de que alivia a ansiedade, o estresse, ameniza a tendinite, entre outros. Contém um antioxidante natural combatendo infecções, artrites, amenizando enxaquecas, fibromialgias, mas, especialmente utilizado na Europa, no período da erupção dos dentinhos. O âmbar acalma, faz bem para o sono e para o sistema nervoso.

Pode ser usado

Por bebês, crianças e adultos. Além dos colares o âmbar pode ser utilizado em forma de pulseiras ou tornozeleiras. As cores, os tamanhos, os diferentes designers são bastante diversos.

Depois que Gisele Bündchen apareceu com seus filhinhos usando o colar, virou uma curiosidade mundial.

Origem

 Sua origem se dá pela ocorrência dos furacões, granizo e tempestades na região báltica, que levaram as resinas para o mar. Mais tarde, elas se tornaram fossilizadas, criando o que é o âmbar báltico.

Benefícios

Em contato com a pele, o âmbar báltico, resina vegetal fossilizada, aquece e libera o ácido succínico, que é absorvido pelo organismo, promovendo seus benefícios e acelerando o processo de cura natural e de equilíbrio das energias do corpo de quem o está usando.

Pessoas têm sensibilidade e expectativas diferentes. Não é solução para todos. Mas acredito valer a tentativa de prová-lo. Uma vez que tem efeito analgésico, antiinflamatório e também atua como um poderoso relaxante neuromuscular. Pesquisas científicas recentes revelam que o ácido succínico, presente no colar de âmbar báltico, tem uma influência muito positiva sobre o corpo humano, ajudando a melhorar a imunidade e o equilíbrio de ácidos quando absorvidos pela corrente sanguínea, gerando, desta forma, inúmeros benefícios do colar de âmbar para a saúde.

Segundo o Dr. Veniamin Khazanov, do Instituto de Farmacologia de RAS, no Centro Científico de Tomsk, para as pessoas idosas, o ácido succínico provou ser indispensável e é capaz de restaurar o balanço energético no nível celular, que é muitas vezes prejudicado à medida que os anos passam. Ele ajuda o paciente a recuperar a sua energia juvenil.

O âmbar báltico é, portanto, um tratamento milenar natural alternativo à base de resina fóssil com alta concentração do ácido succínico.



25 Junho 2018 11:49:00
Autor: Sulisia Westphal

$artigoImagemTitulo



Mais uma vez fui surpreendida pela criatividade coletiva dentro de uma Creche Municipal no norte da Ilha de Santa Catarina: A Creche Doralice Teodora Bastos. Faz menos de um mês em que participei de um momento na Reunião Pedagógica desta Unidade, quando pela primeira vez ouvi professores dialogando sobre o planejamento dos "Territórios" no espaço da Creche. Discutiam o que deveria estar disponibilizado em cada espaço, ou seja, em cada território, e quais seriam as temáticas. Metodologia que envolve toda a Unidade do planejamento à execução: organização, acompanhamento das crianças, limpar e guardar diários. 

Sempre apreciei as características do pátio: tamanho enorme, bem arejado e arborizado, disponibilizado pela Prefeitura para as crianças do Berçário ao Grupo 5/6 da Educação Infantil. Crianças e famílias que considero privilegiadas diante da amplitude convidativa ali oferecida.

Depois de alguns dias, retornei coincidentemente na primeira semana em que tudo estava funcionando. Fiquei emocionada diante do que encontrei. Tive que fotografar para compartilhar e, quem sabe, com estas pinceladas sobre a Metodologia ali aplicada, poder inspirar outras Unidades.



Conheci trabalhos fantásticos em muitas outras creches, com ambientes decorativos, interativos com móveis, com mascotes da turma, construídos com materiais recicláveis dentro das próprias Unidades como: casinhas, sofás, pias, cozinhas, penteadeiras, balanços com tecidos, escorregadores, balanços, cortinas, painéis. Bem como o cultivo de flores, e de hortas.

Os Territórios encontrados foram:

Fazedor de comida

Era uma construção no estilo quiosque que tinha todos ou quase todos os materiais "faz de conta que funcionam", existentes em uma cozinha. Tinha criança fazendo suco de frutas, outras ralando beterraba. Tinha todo o tipo de panelas e eletrodomésticos. Quando perguntei a um profissional como conseguiram tudo tão rapidamente, contou que os objetos vêm sendo coletados desde o ano passado. Tem até água para lavar louça.

Fazendo construção

Crianças com madeiras, tocos, pequenas escadas, batendo com imitação de martelo, fazendo torres de pedaços de madeira. Brincadeira do passado e encantando para valer. Em cada território tem sempre a presença de mais de um professor mediando os movimentos. Motivando, apresentando sugestões.

Quando eu era pequeno

Também nomeado por "espaço dos bebês". Neste território estão todos os objetos ligados a bonecas, mais precisamente bebês de todos os tamanhos, carrinhos de boneca, bebê conforto, roupinhas, armários, caminhas, berços, varal de roupas, fraldários, mamadeiras, chupetas, casinha etc. O mais impressionante foi observar uma Professora fazendo as roupinhas dos bebezinhos a partir de uma meia curta. "Nilza" relata que está tão empolgada que perdeu o sono tentando imaginar como fariam as roupinhas. As meias infantis coloridas conseguem proporcionar modelos estilosos, com um efeito mágico.



Meu quintal

Espaço com terras e todas as ferramentas que envolvem o plantio.

Cantinho dos Carrinhos

Muitos carros podem ser encontrados neste espaço. De todos os tamanhos, formas e texturas. Encontrei até ônibus escolar feito com caixas de papelão.



Um detalhe importante é que nenhum objeto pode ser levado de um território para outro. Cada objeto só pode ser utilizado onde é encontrado.

Outros territórios estão sendo planejados.

Territórios

Desejo compartilhar a metodologia, que segundo a direção, envolve e exige a participação e as relações do coletivo e está encantando a todos. Nova forma do brincar sendo ampliada em sua essência, envolvendo as relações. Como todo novo movimento, com certeza demanda responsabilidades, comprometimento, e também o desejo em querer qualidade no que está sendo apresentado. Objetiva além do trabalho coletivo, experienciar, vivenciar, possibilidades diferentes, criativas, imaginativas, atrativas do brincar.

Na prática, ver, viver, trocar, emprestar, doar, vivenciar, aprimorar as relações de todos os envolvidos. Assim como cada dia uma equipe é responsável em montar os territórios, outro grupo é responsável em limpar, organizar e cobrir com lona para utilizar no dia seguinte.

Confesso que por alguns instantes desejei muito uma viagem no túnel do tempo, para voltar a ser criança, e assim, poder ser transportada diretamente para este local encantador, exatamente neste mês de junho de 2018.

Que muitos outros territórios possam se expandir a partir de sua criatividade!

Qual Território que mais me atraiu? O Fazedor de Comida e o Território "Eu Pequeno".

Bônus:

Usando meias, fazendo roupas para as bonecas


Outras ideias surpreendentes, econômicas para exercitar a criatividade dos grandes e pequenos. 



18 Junho 2018 11:10:00
Autor: Sulisia Westphal

$artigoImagemTitulo



Um dia nublado, acinzentado escuro, e muito frio. Domingo, 17 de junho de 2018. Um dia, que conseguiu aquecer o coração de muitos brasileiros.  

Caracterizar-nos de verde e amarelo, poder unir os corações familiares distantes pelo WhatsApp teve um sentido especial. Brasileiros em sua maioria traumatizados pela Copa anterior. Mal sabíamos que o orgulho brasileiro, os sentimentos patrióticos, as manifestações estariam tão contidas pela Pátria Amada...

Mas, o esporte, o Futebol do Timaço do Tite, estreiando na Rússia contra o time da Suiça, aqueceu os corações de muitos brasileiros... Em especial, àquele golaço de Philippe Coutinho, o primeiro gol da Seleção Brasileira, abrindo o placar, fez a galera confiante e entusiasmada colocar todo o fôlego nas vuvuzelas... Um eco que sentíamos saudades... De repente àquele gol inacreditável de Zuber... E as vuvuzelas caladas, guardadas para o próximo jogo.  

Enquanto isso, os sentimentos dos brasileiros se arrastam por mais um tempo, amargurados, decepcionados, sonhando com os delírios de outrora. Oh! Pátria Amada, Brasil! Quanta fé! Quanta esperança! Quanta carência de orgulho...

Por outro lado, este domingo sombrio e gelado ficou colorido de verde e amarelo. Nas roupas, nos adereços, nas novidades decorativas, na tentativa de fazer um povo inteiro se alegrar...

Mas contemplar a garra dos jogadores condiz com nossas almas quase petrificadas e com desejo ardente de gritar, de vibrar, de formar correntes de otimismo, de fé e de esperança para se orgulhar...



Ser surpreendida pela neta de um ano conseguindo tocar a vuvuzela, e outro neto de cinco anos cheio de adereços, sem contar as demais que tento influenciar... Como avó torcedora pra sempre, é tudo de bom... Não tem preço...

Bandeira na porta de entrada e na sacada podem não ter significado ainda, mas já conseguem contagiar!!

Garra e sorte! A torcida por aqui é forte!!





12 Junho 2018 11:51:00
Autor: Sulisia Westphal


(Foto: Divulgação) 

Sob emoção relembro as últimas horas, quando a voz de Mário Motta ecoava... JORNAL... A SEMANA DE CURITIBANOS! Em seguida... Uhuu!! Era a vibração da Equipe representando o Jornal no 19º Prêmio Adjori/SC de Jornalismo 2018, que aconteceu no Hotel SESC Cacupé em Florianópolis, no sábado, dia 9. Mais de 300 trabalhos foram avaliados por 54 jurados. 

Um eco que se repetiu muitas vezes em uma só noite! A Equipe presente logo se destacou pela euforia e entusiasmo diante de cada categoria em que era citado como finalista, e em cinco categorias como vencedor:

Quesitos

Na Publicidade e Propaganda, "Troféu Luis Henrique da Silveira" em Anúncio e Campanha do Jornal; No jornal impresso os troféus foram nos quesitos Coluna, Fotografia e Reportagem Livre. Houve mais oito menções honrosas, ou seja, oito vezes finalista em outros quesitos

Penas

No Jornalismo On-line, o A SEMANA recebeu a Pena de Bronze. A Pena de Prata foi conquistada pela Publicidade. A tão sonhada PENA DE OURO também veio para o Jornal Impresso!

Orgulhosamente preciso registrar: O A SEMANA conquistou a Pena de Ouro. O ranking é definido pela soma das notas obtidas em nove quesitos: Apresentação Gráfica, Caderno Temático, Charge ou Ilustração, Coluna ou Crônica, Editorial, Fotografia, Reportagem Livre, Reportagem Pautada e, também, pela pontuação conquistada pelo "Conjunto da Obra".

O que dizer?

Muita emoção! Muitas premiações! O que significa uma Super Equipe que consegue trabalhar em conjunto, em sintonia, com metas e em especial com muita garra. O que resultou em muita qualidade, em perspicácia na escolha das "obras" selecionadas para participar da premiação. Segundo o renomado fotógrafo Mafalda, uma Equipe com muita sensibilidade. O exemplo está na foto vencedora, realizada pela Jornalista Tatiana Ramos, em um domingo de plantão, em que subiu em um Carro dos Bombeiros para fazer o registro com amplitude do ocorrido. Também a ela o troféu pela coluna destaque.

Segundo o diretor Hélio Westphal, o trabalho iniciou logo após a Premiação 2017, em que chegaram muito próximos, e também ficaram várias vezes entre os finalistas. Porém conquistando uma Pena de Prata da categoria Novas Mídias. Foram realizadas muitas reuniões, o que envolveu a Equipe e resultou nos trabalhos vencedores!

Parabéns a todos! Diante desta belíssima história rumo a Pena de Ouro, posso afirmar que foram premiações conquistadas com esforços e determinação. Desejaram conquistá-la. Acreditaram em seu potencial.

Que este momento dourado, perpasse a sensibilidade de cada um e assim, sejam inspirados por e para um trabalho coletivo cada vez mais exitoso! E com muitos Uhuuus!

Mensagem

Ainda sob efeito das vibrações, continuo ajeitando o coração e a alma, diante das emoções, da sensação de gratidão por fazer parte deste "TIME A SEMANA". PARABÉNS, Manos Hélio e Renato, Cunhadas Margarete e Daniela! Sucesso e sabedoria sempre!

Aos domingos, procuro fazer registros para esta coluna motivacional, CONEXÃO. Semanalmente na tentativa de extrair detalhes de meu interior, de meu olhar, de meu tempo, de meu jeito Pollyanna, de meu amor pela Educação, pela Inclusão Social. Assim, apresento nuances de como é possível colorir um pouco mais o nosso contexto, a nossa vida, o jeito de ver e de viver com mais alegria, com sensibilidade, com fé, com esperança e perspicácia, fazendo a diferença.

Hoje, reafirmando de que "Quem Acredita, sempre alcança". Para isso as metas precisam estar claras e planejadas. Como andam as suas?

"A cada novo dia de tua experiência humana, recebes valioso concurso para que os resultados te enriqueçam de luz divina pela felicidade que transmites aos outros." 



04 Junho 2018 13:32:00
Autor: Sulisia Westphal

$artigoImagemTitulo


(Foto: Divulgação) 

Passados alguns dias pós-crise dos abastecimentos em todo o país em função da paralisação dos caminhoneiros, mesmo com o retorno do combustível e dos alimentos nas prateleiras, paira uma sensação diferente entre os brasileiros. 

Uma espécie de sombra que se estende para todas as pessoas, independente da idade, da classe social, da profissão, da região em que mora, do setor em que atua. Para algumas pessoas, como sempre, repercutiu em proporções diferentes. Mas ninguém saiu ileso. Muitas férias coletivas inesperadas!

Os aspectos negativos continuam ainda sobressaindo... Os prejuízos incalculáveis em vários agronegócios, a falta de alimentos para os animais, os movimentos nos portos, a redução dos transportes coletivos, os impeditivos na locomoção pela falta do combustível, as aulas canceladas, os inúmeros atendimentos sem acessibilidade, as cirurgias eletivas transferidas... A falta de medicamentos, de alimentos... A falta do gás de cozinha cujo reabastecimento, tal qual a gasolina e derivados ainda não estão normalizados... Os imensuráveis litros de leite perdidos. Os prejuízos das grandes e pequenas empresas...

MAS O QUE APRENDEMOS COM TANTOS TRANSTORNOS FINANCEIROS, FÍSICOS E EMOCIONAIS?

Depois do medo, da insegurança, da angústia, da impotência, começaram a emergir os atos inesquecíveis de solidariedade frente a um País que parava lentamente. A coragem e união de uma categoria, a solidariedade frente às idas e vindas oferecendo caronas dentro dos condomínios, para os locais de trabalho, os vizinhos se conhecendo através de horários afins nos deslocamentos, entre outros... A conscientização da importância em economizar o gás nos banhos e nas cozinhas. O bom senso nas linhas de ônibus fazendo cortes nos horários de pouco movimento. O poder de negociação para a organização dos comboios.

E HOJE?

Não podemos pensar que acabou. Os reflexos se estenderão por muito tempo. Para alguns pode representar o fim de sua atividade. Mas como bem nos motivou o governador: "Vamos nos sensibilizar dando preferência ao consumo de produtos catarinenses prestigiando os nossos produtores tão afetados. Igualmente, procurando valorizar os pequenos feirantes que com muito prejuízo e esforços oferecem seus produtos nas feiras próximas de nossas residências".

Boicotar sim, os preços abusivos. Permanecer alerta, pois nossas pequenas atitudes podem gerar grandes mudanças. Ao invés de estar sempre a criticar "o movimento", use sua "lanterna imaginária" para continuar encontrando alegrias tão comemoradas tais como àquelas na chegada dos caminhões abastecendo os postos de combustíveis!



28 Maio 2018 14:37:00
Autor: Sulisia Westphal


(Foto: Divulgação) /


Nos últimos dias o acordar urbano está diferente... 

O canto de uma grande variedade de pássaros é perceptível. Com certeza devem embalar-nos com sua belíssima sinfonia diariamente... Mas são abafados por outros ruídos externos... Os carros, as motos, os caminhões, os ônibus e transportes similares. Antes nunca puderam ter seus ruídos em destaque... Mas hoje, de maneira inquieta, geram uma sensação de vazio, de deserto, de incompletude... Angustiante!

Os pássaros nunca tiveram tamanha plateia auditiva. Juntamente com eles estão os cães que parecem tentar sincronizar seus latidos, registrando suas presenças no contexto...

Repentinamente o som de um avião a jato... Mas, com uma diferença: O som vem da terra?! É o som de um carro solitário que parece ecoar para o mundo. Logo conectamos no motivo oculto para um cenário tão atípico. Estamos sem combustível, ou racionando com perspicácia o que conservamos em nossos transportes. As estradas, rodovias, BRs estão vazias... Uma semana de manifestação dos caminhoneiros, com paralisação em todo o país.

Aprendemos a diferença entre bloqueio e paralisação dos caminhões nas rodovias. Estamos acompanhando a repercussão do movimento na distribuição de mercadorias, de alimentos, do próprio combustível em todo o país. O acesso aos portos, o não escoamento em todo o país.

Não se trata de um movimento de determinado partido político. Mas como dizem os manifestantes, trata-se de uma só bandeira. A bandeira do Brasil. Não dá mais para ficar de braços cruzados diante dos aumentos abusivos, em especial também do óleo diesel.

Diante do quadro, várias articulações, tentativas do governo, que por enquanto não tiveram mudanças em nosso estado. O povo continua apoiando, mesmo que isso signifique grandes prejuízos. Mesmo que a mídia apresente fragmentos contra o movimento.

Outro aspecto são os acordos que vêm acontecendo para que as carretas com combustível cheguem aos aeroportos, e aos serviços essenciais como saúde e segurança.

O apoio das comunidades aos caminhoneiros, as articulações das caronas para chegar aos locais de trabalhos, as movimentações familiares no final de semana em casa também complementam o inaudível. As crianças e a população como um todo tendo a oportunidade de compreender a importância de movimentos como estes por e para um País melhor!



22 Maio 2018 13:34:00
Autor: Sulisia Westphal


(Foto: Divulgação) 

Na semana passada, em nossas mensagens de WhatsApp, coincidiram várias justificativas antecipadas pela ausência nos grupos, no sábado, 19, devido a um convite irrecusável: O convite de casamento do Príncipe Harry e a "plebeia atriz americana," Meghan. 

Depois da "brincadeira" compartilhada, presenciar o Evento Real em Londres surpreendeu outras tantas.

Ao escrever sobre um "casamento real," podemos ter duplicidade de sentidos: Real porque fazemos, fizemos ou faremos parte da vida ou do grandioso momento em que noivos decidem trocar as alianças, reunindo amigos e familiares para testemunharem e festejarem. Bastante diferente de um casamento de novela, de cinema, ou um casamento dos sonhos, como acompanhamos neste final de semana: Um Príncipe Inglês se casa com uma plebeia atriz americana. Hoje duquesa Meghan da família real britânica.

Vários detalhes também surpreenderam

A cor vibrante do modelo verde limão fosforescente da avó, Rainha Elizabeth, que sabemos ser proposital para poder ser percebida em toda parte do ambiente. E foi! A emoção da mãe da Noiva, o coral que ecoou emocionando o mundo, o jovem do violoncelo, a simplicidade e a beleza do vestido da Noiva, contrastando com a valiosa e estimada coroa de diamantes...

O maior entre os inesquecíveis momentos

Pessoalmente, acompanhando as manchetes das redes sociais, o detalhe que permanecerá como um desejo saudoso dos brasileiros foi a alegria e a demonstração de amor do povo britânico, que invadiu as ruas de Londres saudando o mundo com suas pequenas bandeiras, muitas bandeiras, sinalizando o apoio a mais esta História de Amor no Castelo de Windsor, que proporcionou a milhões de pessoas reflexões e encorajamentos de que as mudanças e transformações são possíveis.

Comece por você! Encontre detalhes para motivar o orgulho e o amor pelo Brasil, vivido intensamente em nossa infância. E quase em extinção para nossas crianças...

"Ame a Terra em que nasceste"! Encontre motivos para transformar estes sentimentos e espalhá-los para os que estão a sua volta!!!



15 Maio 2018 13:34:00
Autor: Sulisia Westphal



Contextualizando...

Acabo de receber a proposta de um link para acessar gratuitamente o Livro Digital "Em Busca do Auto Controle/ Augusto Cury, apresentando possibilidades de liderarmos nossas emoções e assim, tornar este mundo melhor, aprendendo a lidar com o excesso de informação, atividades, trabalho intelectual, preocupação, cobrança, uso de celulares e computadores, presença certa em todos os endereços: Estamos na era dos mendigos emocionais!

"Pessoas estressadas moram em belos apartamentos e casas confortáveis, porém não têm conforto psíquico e precisam ansiosamente de celulares, roupas e outros produtos para aliviar sua insaciável insatisfação. Seres humanos mentalmente estressados mendigam alegria e tranquilidade; necessitam de aplausos, reconhecimento, premiações e sucessos para mitigar ou diminuir seu esgotamento cerebral e sua marcante ansiedade"

Assim, inserida neste contexto venho falar das emoções vividas orgulhosamente sobre mais este papel na vida da mulher: Mãe de Noivo! Papel que escolhi vivenciar intensamente nos últimos meses, nos últimos dias, cujo namoro venho participando de perto por quase nove anos.

Por coincidência, um filho que chegou inesperadamente nove anos depois da irmã mais nova, e, exatamente no dia de seu aniversário. Diante disto, faz um bom tempo que já havia participado do casamento das Irmãs como Mãe de Noivas. Confesso que ficava elucubrando como seria uma "Mãe Idosa\ Avó" acompanhando meu filho até o altar... As pessoas que hoje fazem parte de minha vida de alguma forma sabem o quanto curti cada instante que precedia o evento.

A Alegria

Penso que as características do noivo, bastante parecidas com as da Mãe, percebendo todo o amor ali presente em cada etapa, planejada e sonhada por exatamente um ano, fez com que a alegria de minha alma refletia em nossa entrada tão verdadeiramente clicada nas fotos. A música selecionada em uma de nossas raras viagens a dois... Precisávamos escolher uma que fizesse sentido para os dois: Coldplay, The Scientist

Detalhes

Tapete de espelho, vasos enormes com a delicadeza das minúsculas e corpulentas Mosquitinhos, também conhecidas como véu de noiva, intercaladas entre a luz das velas... Complementando o cenário da Capela, escolhida por fazer parte do Colégio em que viveram toda sua vida escolar, e onde atuei por vinte anos... Tudo isso para tornar ainda mais emocionante a indescritível beleza da Noiva.

Os Votos emocionantes lidos por eles para os convidados foram de arrepiar... O amor estava no ar.

O Celebrante comparando a vida com um Projeto, cuja base, precisa ter um bom fundamento. O que relataram em seus votos... Tantos anos de convívio intensamente criativos e planejados lado a lado... Início da vida acadêmica, formaturas, o mundo profissional... Recordo que o celebrante mencionou significado de cada um, em especial da importância das aberturas, janelas e portas, refletindo a sua vida para as pessoas envolvidas: Famílias e Amigos... A bênção dos Avós, dos pais...

O local do Evento

Tivemos uma noite de cinema. Esta foi à sensação quando percorríamos os ambientes! A organização foi incrível em todos os detalhes, da recepção, a acolhida, a disposição em que os convidados foram acomodados, por grupos de afinidades... O cardápio, o jeito diferente de servi-lo, os drinques, os docinhos, o bolo, os lustres, os arranjos, a iluminação. Mas principalmente a alegria de todos...

A coreografia dos noivos ao som de Ed Sheeran, Perfect Duet com Beyoncé, cujo efeito de luzes fez os convidados irem ao delírio... Em seguida a Banda Quinteto Samba Aí, amigos do Noivo desde o início, fez com que ele surpreendesse a todos. Subiu ao palco e com o microfone, parecia um dos músicos integrantes da Banda...

O amor relatado na Igreja repercutiu... Muitos casais podiam ser vistos aos beijos... Reproduzindo o amor demonstrado pelo jovem casal. Na virada, a homenagem às Mães... E quando o dia amanheceu continuávamos em muitos ao som do DJ e do saxofonista. Tantos convidados vieram de muito longe, tantos profissionais envolvidos... Os noivos souberam escolher muito bem... E os Pais da Noiva conseguiram proporcionar a Festa dos Sonhos... A Festa de Cinema. Parabéns a todos!

E A MÃE DO NOIVO?

Radiante! Orgulhosa por ser surpreendidas com novas características semelhantes as suas, impressas no Filho. Que sejam muito felizes!

 No dia seguinte, após ouvir algumas opiniões não foi possível definir o ponto alto... Foram muitos... Uma NOITE DE PRINCIPE CASANDO COM A PRINCESA. Parece que na rápida enquete o quesito principal foi o AMOR dos dois, em especial o carisma do Noivo que contagiou a muitos. Na decoração, teve até uma árvore simbolizando o Agrônomo.

Gratidão! Os caminhos e propósitos de Deus para cada um de nós são mui tomais elevados que os nossos. Amém!



07 Maio 2018 13:59:00
Autor: Sulisia Westphal


(Foto: Divulgação)

Outro dia, perguntei qual o segredo de um grupo de jovens cuja qualidade e criatividade na amizade duradoura saltam aos olhos. Acompanho fragmentos das movimentações do referido grupo por quase duas décadas... A resposta veio imediata: Uma deseja muito bem a outra... Fiquei impressionada pela simplicidade, rapidez e convicção na resposta. Diante disto, faz alguns dias que tais palavras vêm ecoando e eu, tentando aprofundá-las.  

Desejar o bem parece algo tão natural, tão óbvio... Na verdade, quanto mais venho observo as pessoas, e estou atenta a esta característica, mais reafirmo algo impactante: Desejar o bem ao outro também está na lista das extinções.

Em baixa:

2018! Constato que o índice de pessoas que verdadeiramente desejam o bem de quem está próximo continua cada vez menor. Ou as pessoas pensam somente em si mesmas, ou se estende até o seu entorno pessoal, ou ficam em cima do muro, alienadas, esperando tudo acontecer sem posicionar-se ou tomar à frente, sem um olhar de interesse, de carinho.

Em alta:

O que está em ascensão são as críticas duras, sem fundamentos, sem flexibilidade, julgando pessoas e fatos sem o menor escrúpulo ou conhecimento de fato. Os "pré-conceitos, os pré-julgamentos" movem as massas, as manifestações. Uma foto, uma frase, uma opinião é capaz de mover muitas outras através das redes sociais, sem qualquer conhecimento de causa, trucidando duramente toda uma história de uma pessoa, construída com muitos valores...

Se recentemente a pessoa era aplaudida, em questão de meses, sem oportunidade de ouvir suas razões, seus motivos, a mesma pessoa é vaiada e taxada, excluída com muitas características não verdadeiras.

Tentativas

Desejar o bem caminha lado a lado com a empatia. Quando nos colocamos no lugar das pessoas na tentativa de compreender suas atitudes, suas ações e reações e, tentamos o diálogo para conhecê-la e entendê-la, conseguirmos ser capazes de desejar o bem.

Raramente podemos observar e comemorar os resultados de uma corrente do bem, de gestos solidários e prol de uma causa que une uma comunidade. Quando acontece, geralmente o resultado permanece silencioso. Pois até neste tipo de movimentos já constatamos verdadeiras fraudes... O que mais uma vez demonstra que ao desejar o bem, muitas vezes somos enganados... As aparências vêm se intensificando. Infelizmente longe do alvo: desejar o bem...

Coincidência

Faz poucas horas que um colega de trabalho, muito querido pela comunidade educativa, reunido com um grupo de pais, aposentados e colegas, em uma quadra de vôlei fraturou gravemente o pé. Dispõe agora de um novo acessório: uma bota de gesso e com a recomendação de pelo menos quinze dias sem colocar o pé no chão...

Entre as reações alguém pergunta como não sabia do jogo de vôlei... Quando na verdade, penso eu, que primeiro deveria estar desejar o bem em sua recuperação, lamentar a falta de sorte em uma atividade tão saudável... Foi então que intensifiquei as buscas por esta característica...

Cobrar, criticar, detonar uma pessoa é fácil

Realmente, é muito fácil cobrar dos outros... Difícil é alguém oferecer possibilidades, sugestões, ideias diante das circunstâncias que nem sempre são favorecedoras. Podemos errar, sim. Podemos estar no segmento das pessoas que não se auto-percebem pensando ou desejando o bem do outro. Olhar demasiadamente para o próprio umbigo, ser hedonista, querendo tudo perfeito para o "seu desejo, para o seu bem"...

Que possamos permanecer entre as pessoas sobrevivendo às adversidades virtuais e reais, Sendo gratas pela sensibilidade e o constante desejar o bem "extremamente vivos" dentro de nós, refletindo por onde passamos...

Alerta

 Olho nas "pessoas peso" que estão próximas e só sabem exigir, cobrar, reclamar, ser vitimistas, falsas... E que facilmente nos envolvem em seu discurso pessimista sobre tudo e todos.

Mais olho também nas "pessoas combustíveis", àquelas que nos seduzem pelo seu caráter em desejar o bem, que nos movem pelo otimismo, pelo alavancar de nossas ideias, que nos apoiam que caminham ao nosso lado e nos fazem crescer e acreditar no ser humano.

Ouvi e gostei: " Aves da mesma plumagem voam juntas"! Como é importante perceber um bando voando conosco. Mas, também para isso existem as escolhas...

COM PLUMAGENS POSSO VOAR ALTO COMO ÁGUIA OU VIVER COMO GALINHA... Ui!!!



JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711