Curitibanos,
35anos barrra.png
35anos barrra.png
  
Paula.png

Todo preconceito é tolo

07 Julho 2018 13:50:00


"Ninguém nasce odiando outra pessoa pela cor de sua pele, por sua origem ou ainda por sua religião. Para odiar, as pessoas precisam aprender, e se podem aprender a odiar, elas podem ser ensinadas a amar" (Nelson Mandela). 

É impressionante como, em pleno século XXI, o preconceito continua a ser algo presente em nossa sociedade. Todos os tipos de preconceito nos fazem refletir que, talvez, a mente humana não esteja acompanhando a evolução tecnológica que hoje vemos.

Diferenças são normais, indiscutíveis, inegáveis, e lidar com elas nem sempre é tão fácil como esperamos. O convívio em grupo já é, por si só, uma tarefa difícil.

Muitas vezes, temos que engolir palavras, respirar fundo e pensar duas vezes antes de falar ou fazer algo: são passos básicos para uma vida harmônica e relativamente equilibrada. Mas, infelizmente, muitos ainda não aprenderam a superar e respeitar as diferenças, abrindo, assim, caminhos para o preconceito, a discriminação e as atrocidades que deixaram e deixam marcas absurdas em todos os tipos de sociedade.

São as diferenças que tornam a vida mais interessante, a diversidade nos ensina o conhecimento. Uma pessoa não é igual a outra, mas isto não significa que uma seja melhor ou pior que a outra, as diferenças existem e precisam ser respeitadas. O preconceito nada mais é que um juízo preconcebido fruto da ignorância, um desconhecimento pejorativo referente a pessoas ou lugares e só pode ser vencido pelo conhecimento e instrução. É a pessoa preconceituosa quem precisa melhorar como pessoa e como ser humano e não a pessoa vítima da discriminação.

O PRECONCEITO NADA MAIS É QUE UM JUÍZO PRECONCEBIDO FRUTO DA IGNORÂNCIA 

Uma personalidade intolerante, autoritária, agressiva, limitada, arrogante, despreza qualquer ideia ou situação que ultrapasse a realidade preconcebida daquilo que considera normal. São muitos os tipos de preconceito e fica difícil acreditar que eles ainda existam. São erros passados de geração para geração, até que uma geração perceba que os conceitos associados à discriminação e às diferenças não revelam verdades e já não cabem no mundo de hoje.

Há uma frase clássica, que alguns atribuem a Albert Einstein, é até provável que a frase seja dele, embora não se tenha um registro tão fiel em relação à autoria, que diz: "Época triste a nossa em que é mais difícil quebrar um preconceito do que um átomo".

Einstein, sabia muito bem do que estava falando, até por ter sido expatriado da Alemanha. Ele, que tinha ascendência judaica, se lá permanecesse, teria tido problemas durante a ocupação nazista.

Todos os tipos de preconceito geram hostilidade e violência. Cada vez mais, nós entendemos que é preciso aceitar as diferenças de pensamento, as diferenças de postura, isto é, numa convivência cidadã saudável, o fato de as pessoas serem como são.

Quem quer que conheça um pouco de história, sabe que sempre existiram preconceitos nefastos e que mesmo quando alguns deles chegam a ser superados, outros tantos surgem quase que imediatamente.

Apenas posso dizer que os preconceitos nascem na cabeça do ser humano. Por isso, é preciso combatê-los em suas cabeças, isto é, com o desenvolvimento das consciências e, portanto, com a Educação, mediante a luta incessante contra toda forma de sectarismo.

JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711