35anos barrra.png
35anos barrra.png
  
Paula.png

Quem espera sempre alcança? Será?

21 Julho 2018 08:55:00


 "As oportunidades são como o nascer do Sol: se você esperar demais, vai perdê-las." (William Arthur Ward) 

 Se há uma emoção que alimenta o lado bom da vida é, sem dúvida, a esperança. É importante acreditar que podemos transformar nossas vidas, amar outras pessoas, sarar nossas feridas, ter alegrias apesar das adversidades e perdas, consolidar nossos ideais.

 Ter esperança é fundamental para vivermos. Ela é fonte de ânimo para que possamos dar um significado à existência e ao futuro. A esperança é como uma estrela cujo brilho nos guia, porém sem dissolver a escuridão da vida.

 Há um ditado que comumente escutamos: "quem espera sempre alcança", embora, em uma versão italiana, haja uma nota clássica que diz: "piano, piano si va lontano, ma non si arriva mai", ou "devagar se vai longe, mas não se chega nunca".

 A ideia de que quem espera sempre alcança tem algo de arriscado: a noção de esperança como ficar aguardando. A esperança deve ser ativa, como busca ao objetivo que se realiza.

 Esse ditado de "quem espera sempre alcança" pode passar uma ideia de que basta sentarmos e aguardarmos, e as coisas seguirão seu rumo. Não é verdade. Sabemos que há muitas coisas que, se apenas esperarmos, não acontecerão.

 Abraham Lincoln disse: "As coisas podem chegar até aqueles que somente esperam, mas são apenas as sobras deixadas por aqueles que lutam".

 Para não se satisfazer apenas com o resto, é essencial ingressar para o grupo das pessoas resolvidas a serem vitoriosas, saindo da zona de conforto, com a coragem de encarar e superar os empecilhos que aparecerão pela frente.

 Contudo, a esperança não precisa ser um afastamento da realidade, pois isso nos traria desilusões, mais cedo ou mais tarde. É irônico, mas, às vezes, a excessiva esperança em coisas ou em pessoas faz com que acabemos perdendo a esperança, devido às frustrações vividas.

 Como tudo nessa vida possui dois lados, viver de esperança pode resultar em resultados negativos e improdutivos. A fé cega, que não contém nenhuma ação, não nos ajudará a realizar o que ansiamos. Paralisados, ficaremos esperando que a vida, outra pessoa ou algo externo a nós se apresentem como solucionadores de nossos problemas, em lugar de assumirmos a responsabilidade por nossas vidas.

 A esperança nos permite ver num ponto de vista mais amplo, tirando-nos do medo paralisante do problema visivelmente insolúvel. Ela nos lança no horizonte distante, além de tudo que hoje não tem jeito, e que amanhã será visto como necessário para novos desafios que virão. Por isso, a esperança nos torna inventivos e competentes de erguer as bases para a concretização de nossos sonhos, evitando que entremos no colapso do desespero. Essa sabedoria muda o ritmo de nosso ser e inspira a cura, baseada na certeza de que, se já passamos por tantas outras coisas, porque não iremos passar por mais essa? Ela é um antídoto contra o veneno do medo e do caos.

 Ao abrirmos mão da esperança, acabamos por cumprir nossas previsões mais terríveis, ao passo que, com ela, somos levados a nos aplicar e dar o máximo de nós, descobrindo que podemos passar o limite que nos colocaram ou nos impusemos.

 A esperança sempre venceu o medo, antes mesmo da utilização política dessa verdade, mas esse medo só é vencido quando depositamos em nós, e não nos outros, as possibilidades do futuro.

 "A esperança é o único bem comum a todos os homens; aqueles que nada mais têm - ainda a possuem". (Tales de Mileto)


JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711