35anos barrra.png
35anos barrra.png
  
Paula.png

O futuro não está diante de nós, mas sim dentro de nós

18 Agosto 2018 08:30:00


(FOTO: DIVULGAÇÃO)

Celulares, Internet, notebooks e tecnologias sem fio anunciam: praticamente não existe lugar em nosso planeta em que não possamos ser alcançados pelos meios de comunicação. Ficar sozinho hoje, portanto, é uma questão de escolha, e muita gente foge dessa situação como o diabo da cruz, acessando salas de bate-papo, sites de relacionamento, programas de mensagens instantâneas e tantas outras opções disponíveis. O mundo virtual nivela seus habitantes e, com isso, até os tímidos podem apresentar-se sem medo de rejeição. 

A vida eternamente online é, segundo a psicóloga norteamericana Ester Buchholz, uma tentativa de resolver o problema do tempo e das necessidades sociais, a sós. E o temor de passar algum tempo isolado ou abandonado é compreensível: para muitas pessoas, a simples ideia de ficar sozinho evoca medos, o que acarreta consequências negativas.

Porém, boa parte da vida moderna, ainda que pareça promover a conectividade, teve o efeito oposto, de fomentar o isolamento social e a solidão.

As pessoas raramente relatam suas histórias de tristeza e isolamento nas mídias sociais. Em lugar disso, os posts destacam diversão e amizade, e as pessoas que não contam com isso acabam por sentir-se acanhadas ou amedrontadas.

As comunicações eletrônicas acabam por substituir as interações interpessoais, face a face, e os sinais sutis de sofrimento, as mensagens de carinho e interesse que estas ações podem transmitir.

"FICAR SOZINHO HOJE É UMA QUESTÃO DE ESCOLHA"

Mas, o que é solidão? Podemos descrever a solidão como estar ao lado de quem não nos percebe, olhar o horizonte e não vislumbrar novos caminhos. Solidão é desamparo, tristeza, é a falta do que temos sem possuir, do que se vê sem existir. Solidão é estar acompanhado por quem não está verdadeiramente junto. Solidão é estar ao lado de quem não nos percebe, não nos valoriza, não conversa conosco nem se interessa de verdade pela nossa vida.

Solidão é passar o dia esperando, em vão, por uma mensagem de carinho e de consideração, um telefonema, um carinho qualquer. É não receber nada em troca, enquanto se doa, enquanto se dedica, enquanto se entrega por inteiro e com sinceridade, enquanto se cultiva o apego ao que fora prometido, às palavras e promessas ditas lá atrás.

Solidão é olhar o horizonte e não vislumbrar novos caminhos, é sonhar com falsas esperanças, é agarrar-se a um passado que não teve futuro, é esperar cada amanhã com desesperança, tendo os olhos marejados enquanto se enxergam somente nãos.

Solidão é ausentar-se de si mesmo, como que se afastando de tudo aquilo que fere e machuca, na tentativa de escapar de um vazio que sufoca e grita por atitudes e por mudanças que teimamos em evitar. É viver no passado que foi melhor e sobreviver a um futuro que não tem chances de se concretizar.

Todos, portanto, temos que estar bem seguros quanto ao que queremos de nossas vidas, quanto ao tipo de amor e de amizades que nos fazem bem, para que não aceitemos migalhas de quem não está nem aí para nossos sentimentos. É difícil romper definitivamente com o que nos faz mal, porém, libertar-se do que é inútil e danoso será uma das melhores maneiras de se alcançar a felicidade que todos merecemos em vida, com ou sem alguém ao nosso lado. "Solidão: um lugar bom de visitar uma vez ou outra, mas ruim de adotar como morada" (Josh Billings).

JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711