Curitibanos,
35anos barrra.png
35anos barrra.png
  
Paula.png

Esforço criativo

14 Julho 2018 09:25:00


(Ilustração: Divulgação)


"Um sonho escrito com um prazo se torna uma meta. Uma meta dividida em passos se torna um plano. Um plano suportado por ações faz seus sonhos se tornarem realidade" (Greg S. Reid).

É comum as pessoas dizerem "eu estava esperando uma inspiração para fazer esse texto, para começar essa obra, para refletir sobre um projeto?". Ora, existe um esforço imenso para ser criativo e para que a inspiração possa ter o seu lugar.

Vale citar aqui Igor Stravinsky, um compositor russo que, com seus balés e peças, deixou um legado muito criativo. Ele dizia: "Um leigo pensaria que, para criar, é preciso aguardar a inspiração. É um erro. Não que eu queira negar a importância da inspiração. Pelo contrário, considero-a uma força motriz, que encontramos em toda a atividade humana e que, portanto, não é apenas um monopólio dos artistas. Essa força, porém, só desabrocha quando algum esforço a põe em movimento".

O que Stravinsky chamava de trabalho é o esforço a ser feito para que a inspiração seja colocada em movimento. A capacidade de fazer a inspiração surgir não é sentar e aguardar, e então, sermos possuídos por um momento de grande movimento cerebral, é colocar-se no esforço.

Nenhuma ideia brilhante surge do nada. Por trás de um "Eureka!", há muito esforço envolvido.

Mesmo que pareça que a solução tenha surgido espontaneamente, na verdade, ela é fruto do repertório que você tem acumulado ao longo do tempo, de todo o esforço que realizou para adquirir determinado conhecimento.

Acredito que a criatividade é uma competência e não um dom. O ponto de partida de grandes ideias tem origem no "querer fazer". No entanto, independente de ser aplicada ou não, a maioria das soluções foi pensada por quem se debruçou sobre um problema e, com isso, renunciou a um tempo valioso de sua vida, tendo como objetivo enxergar um fato novo. Esse é o ponto central desse texto: a valorização do esforço criativo.

Steven Johnson, um estudioso de criatividade, nos ensina que muitas soluções costumam ser geradas a partir de pequenas ideias inacabadas, que vão se acrescentando e, juntas, podem ganhar consistência. Sabemos que a criatividade não acaba, você a alimenta e exercita, vai além dos limites para que ela se fortaleça cada vez mais. Se você a deixar quietinha, ela se atrofia e enfraquece.

Tudo contribui para fortalecer o processo criativo. Quanto mais você absorver do mundo à sua volta e quanto mais conexões interessantes você fizer, mais criativo você se torna.

Se a criatividade não pudesse ser trabalhada todos os dias, não existiriam artistas, escritores, YouTubers ou empreendedores. Essas pessoas incorporam o processo de criatividade em seus estilos de vida. Elas vivem do processo de criação de ideias todos os dias, entretanto, ter uma ideia não é tudo. O processo de criação não termina quando você começa a executar. Buckminster Fuller disse "Eu não sou um gênio. Eu sou apenas um punhado enorme de experiência".

Com esforços abundantes, específicos e sustentáveis durante um tempo, você pode fazer a maior parte das coisas que tem dificuldade. Uma pessoa criativa costuma ser identificada pela persistência, concentração, motivação, e foco naquilo que fazem bem. Dedicação em um nível incomum é requisito para alcançar a maestria.

A grande diferença entre você e Picasso ou Einstein, ou as mentes mais criativas do nosso tempo, é que eles abraçaram a longa estrada até a maestria, eles passaram muito tempo aplicando suas mentes e almas na única coisa que queriam fazer. Resumidamente, a genialidade é resultado de um desenvolvimento contínuo, portanto, trabalhe duro, seja esperto e persistente, e você vai encontrar sua brecha.


JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711