Curitibanos,
35anos barrra.png
35anos barrra.png
  
Paula.png

Aprendendo a lidar com as perdas...

02 Junho 2018 07:00:00

Ana Paula Della Giustina


(Foto: Divulgação)/


Eis uma verdade para você, caro leitor: você vai perder algo ou alguém que ama. Vai falhar. Vai cair. Talvez você supere, talvez não. Talvez seja tudo em vão. Alguém precisa te lembrar das possibilidades negativas. 

Geralmente as pessoas dão conselhos baseados na superação. Desejam o bem ao próximo superficialmente com frases como "vocês são vencedores, vão conseguir". Repetem mantras da positividade, mas poucos realmente se importam com os problemas alheios e em ajudar a solucioná-los.

Adoram ver aquelas histórias bonitas e comoventes de superação de alguém que tinha tudo para falhar e conseguiu atingir seus objetivos. Realmente é motivador saber que alguém conseguiu cobiçar o que desejava, mas, e quando o caminho é inverso? E quando a pessoa falha? Quem se importa com quem perde? É só tentar de novo ou é melhor desistir? Não há lugar para perdedores. Como motivar? O que dizer?

Estamos uma sociedade onde vencer é fundamental, quem vence é quem inspira, é quem dita às regras. São exemplos que temos a seguir. Mas não aprendemos a perder, a cair, a sermos rejeitados e não realizar nossos sonhos. Não aprendemos a encarar os dias ruins. Não nos dizem que iremos morrer e que tudo pode dar errado. E se der? Como estaremos preparados? Por que as histórias de quem fracassou não são interessantes para aprender como as de quem conseguiu?

Pensar no pior também pode te fazer melhor, entender que a vida não é só feita de bons momentos e de diversão. É necessário se adequar, planejar, arriscar e reconhecer que não se pode ter tudo.

Desde pequenos devemos aprender que vamos perder na vida. Perderemos nosso tempo fazendo o que não queremos, com pessoas que não gostamos, e o pior, perderemos as pessoas que amamos. Perderemos amigos, namorada(os) e parentes. Vamos cair e nem todos vão se levantar. Podemos chegar até o fundo do poço e nunca sair de lá. Vamos falhar, cometer muitos erros tentando nos encontrar e encontrar alguém que possa nos ajudar em nossa jornada, tentando achar um espaço na sociedade para se inserir porque o medo de falhar e estar só nos consome. Dividimos vitórias, mas ocultamos derrotas. Temos vergonha de admitir que não fomos capazes. É somente quando falhamos que percebemos nossa pequenez no mundo. É através da percepção da nossa fragilidade que podemos nos conhecer de verdade. A vida é uma seqüência de fatos e ciclos. É experiência, tentativa e erro. O sucesso nada mais é que a persistência após vários fracassos. Mas quantas vezes precisamos fracassar para vencer?

O quanto de dor podemos suportar até que a cicatriz de um grande corte profundo de perda e de vergonha se cure? Não há resposta, não há conselho de auto-ajuda como em muitos livros que lucram com soluções programadas para pessoas que precisam de alguma resposta que as satisfaça para essa pergunta. Não teremos todas as respostas. Apenas vivendo podemos saber, a experiência e conhecimento de cada um é o que determina como vencer e como encarar a perda. Não há fórmulas porque cada história de vida é única.

 Sempre que não conseguir, lembre-se: Você vai perder algo ou alguém que ama. Vai falhar. Vai cair. Talvez você supere, talvez não. Talvez seja tudo em vão. Alguém precisa te lembrar das possibilidades negativas. Mas lembre-se também: Viver é saber o que fazer dos erros, é aprender todos os dias algo. Não há erros sem acertos, valorize os erros, valorize a derrota, os derrotados, aprenda com eles, por que são eles que te farão acertar.

 "A vida não tece apenas uma teia de perdas, mas nos proporciona uma sucessão de ganhos. O equilíbrio da balança depende muito do que soubermos e quisermos enxergar." (Lya Luft)


JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711