ASemana 36 anos.png
ASemana 36 anos.png
  
NAS MALHAS DO COTIDIANO

Não se sabe

29 Novembro 2018 14:14:00


(Foto: Divulgação) /

Nunca se sabe o dia, ou a noite, em que acontecerá... mas acontecerá:

Aqui uma rosa fenece; no mesmo instante, lá, outra rosa nasce. 

Nunca se sabe o dia, ou a noite, em que acontecerá... mas acontecerá:

Aqui um coração se rompe, no mesmo instante, lá, outro coração se salva.

Nunca se sabe o dia, ou a noite, em que acontecerá... mas acontecerá:

Aqui uma batalha estoura, no mesmo instante, lá, a paz é reafirmada. 

Nunca se sabe o dia, ou a noite, em que acontecerá... mas acontecerá:

Aqui a tormenta é resistente, embota a alegria, lá, no mesmo instante, a brisa é doce e não há tempo, nem espaço, nem motivação para lamentações. 

Nunca se sabe o dia, ou a noite, em que acontecerá... mas acontecerá:

Hoje o vento açoita a face, acompanhado de potentes gotas de chuva fria, arrancando sangue e dor. 

Sangue que mancha o caminho, dor que faz gemerem os sentidos. 

Mas em um dia iluminado, ou numa noite em que as estrelas brilhem como sonhos, o vento, transformado em bálsamo de frescor, vai vedar as fendas da pele, cicatrizar as fundas rachaduras do espírito.

A dor vai cessar.

Vai restar aprendizado no lugar.

Nunca se sabe o dia, ou a noite, em que acontecerá, mas acontecerá...

Hoje pelos dedos deslizam mágoas; doem as articulações, apertadas pelas garras da angústia; suam as palmas, na lancinante tarefa de converter areia em pérola.

Mas em um dia iluminado, ou numa noite em que as estrelas brilhem como sonhos, dos dedos escorrerão perfumadas felicidades: felicidades livres; por isso, felicidades. 

E se a transpiração descer aos dedos, será porque fluiu serenidade da mente e vida do coração. 

Um dia, não se sabe. 

Uma noite, não se sabe. 

Será que, 

Em nossas almas, 

Tanta esperança

Cabe?

Num trecho de poema, Pablo Neruda afiança:

"Que fácil é quando se conseguiu

a felicidade, que simples

é tudo". 

Porque, em um dia iluminado, ou numa noite em que as estrelas brilhem como sonhos, tudo parecerá simples, sim, Neruda.

Nesse dia, ou nessa noite, tudo estará certo. 

Os esforços, todos, consolidados. Todas as misérias superadas.

Então tudo, tudo vai se encaixar. 

Até lá, penamos.

Até lá, sonhamos.

Até lá, a vida

Reinventamos.

logo as5.png

JORNAL "A SEMANA"
Rua Daniel Moraes, 50, bairro Aparecida
89520-000  -  Curitibanos/SC  -  (49) 3245-1711